sexta-feira, 13 de maio de 2011

A peça que nos une

Não é um sutiã, muito menos uma calcinha rendada. A peça que nos une, em tempos de tecnologia, cabe na palma da mão, custa caro e atende a todos os requisitos da atualidade: o celular.

Esta minúscula peça, aliás, cada vez mais minúscula, substituiu o despertador, o mp3, a agenda, o detetive e em muitos casos o computador e a tv. Mas é fato que ela nos une. Une quem está longe, desmarca compromissos que é uma beleza, dá parabéns aos esquecidos, registra situações inusitadas e mantém completamente unidos os casais. Já reparou? Casais se falam o dia inteiro!!!

Oi amor, estou entrando na consulta! Amor, saí da consulta, tudo certo. Amor, estou em reunião ainda! Amor, trazer o pão!... E por aí vai.

Já está provado o quanto casais são compreensivos no celular. É amor pra lá, amor pra cá, amor pra todo lado; só muda quando um não atende a ligação.

Ele: A anta não atendeu, não conseguiu encontrar o celular dentro dos vinte e cinco compartimentos da bolsa.

Ela: O burro não atendeu, o que será que ele está fazendo? Ai meu Deus, com quem será que ele está? Será que é mulher?

Há de se convir que esta peça que nos une, facilita e muito a nossa vida. Mas, convenhamos, tá na hora de colocarmos algumas regras de uso desta peça para uma convivência mais amigável.

1 - Que fique registrado, para as duas partes, que algumas atividades nos impossibilitam de atender o seu chamado ou o de qualquer outra pessoa, por razões óbvias. Fazendo as unhas, tomando banho e escovando os dentes são alguns exemplos. Não se irrite se o momento escolhido para tais atividades tenha sido o mesmo da sua ligação.

2 - Bolsas, podem ser instrumentos complicadíssimos de se manusear. Encontrar alguma coisa dentro delas então, muito mais complexos. Alguns casos são passíveis de um manual ou treinamento.

3 - O simples fato de estarem num buteco, não lhes confere a honra de não atender a ligação, seja você o macho ou a fêmea da relação.

4 - Enquanto um estiver falando, desista de lhe passar qualquer informação. Mesmo com dois ouvidos, é impossível para os seres humanos, ouvir duas fontes de informação simultaneamente.

5 - Embora os machos humanos sejam monossilábicos, têm momentos em que é necessário uma frase completa.  Principalmente porque, à distância, não temos como perceber suas expressões faciais e corporais, que ditam  40% de suas falas.

6 - Muito boa parte da população não trabalha com o celular na mão o tempo todo. Portanto, no horário de trabalho, não atendeu, contenha-se, a pessoa está trabalhando, o que significa ocupada.

7 - Ainda não vi ninguém atendendo o celular com o pé, portanto com as mãos ocupadas é impossível atender o celular. Fui clara? Ou faltou informação para a sua vã compreensão?

8 - Na hora das atividades imprescindíveis para a continuidade da espécie humana, desligue o celular. Não há nada mais desagradável do que ser interrompido pela mãe, pela sogra, pelo amigo, pelo cunhado ou por qualquer outra pessoa neste momento.

9 - Se você precisa vasculhar o celular do seu (ou sua) parceira para saber se existe algum resquício de uma terceira pessoa, aqui vai uma dica: trocar o celular não resolve. Troque o analista, troque de parceiro ou troque-se porque isso aí é fim de carreira!

Leila Rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço