sábado, 30 de dezembro de 2017

O caos e a fé



No trabalho o mês de dezembro é uma insanidade só. Meta para bater, comércio desesperado para vender, exercício para fechar. Onde tem um cliente interessado, lá estão nossos esforços e expectativas. Um corre corre desenfreado para darmos conta de tudo que nos propusemos fazer. Os dias  são pequenos para atender todas as demandas e não esquece que à noite tem confraternização da turma do alguma coisa. Turma da academia, turma do trabalho, do colégio, do vôlei, turma da pós, turma do bordado... turma. Então esquece o cansaço, passa no supermercado lotado para comprar a bebida e vai!
Recebe o 13o., paga conta, Av. Primeiro de Junho lotada, Rua Goiás idem  e mais tarde tem outra confraternização. Adianta as comidas do Natal, refaz a lista, aumenta gente, pensa na mesa, o supermercado continua lotado, vai longe achar um presente mais em conta, decora a casa, hoje é dia de formatura. Ufa!!!! Dezembro é pequeno demais para tanta confraternização! Lá se vão dieta, qualidade de vida, 8 horas de sono, projeto verão, meses de investimento em nutri, dieta low carb, tudo para o próximo ano. Perderam para os abraços, para os encontros, para as lágrimas de emoção, para os “amigo oculto”, para os fechamentos deste ciclo matemático que chamamos de ano. Mexe mais conosco do que podemos imaginar! Na cabeça, em meio ao caos de entregar tudo, de fechar tudo... já se enxerga uma luz no início do próximo Túnel. Lá vem ele! Inocente, ressabiado, sem entender direito o porquê de tantas promessas,  tanto estardalhaço se tudo é apenas um dia após o outro. Fica tranquilo Senhor 2018! Não é nada pessoal! É apenas a nossa estranha mania de ter fé na vida! 
Humanos precisam de fé. Fé em Deus, fé no outro, fé no próximo, fé no novo, fé em alguma coisa que dê sentido à nossa existência. Precisamos do novo para renovar alguma coisa em nós que, às vezes, nem nós sabemos exatamente o que é; mas sabemos que é preciso. Que venham os abraços, os pedidos, os desejos, as promessas, os propósitos, as luzes no início desse túnel novo. 
Se vamos cumprir? Aí é outra conversa. Mas enquanto estivermos por aqui é sinal de que alguma missão ainda precisa ser cumprida e renovar a fé é uma forma de dizer a nós mesmos que a missão continua ou melhor dizendo, que continuamos na missão.  
Eu como bom soldado, estou sempre à disposição! 
Que venha 2018!

Leila Rodrigues

Imagem da Internet
Publicado no JC Arcos


Olá pessoal,

sem clichês, sem palavras mágicas, sem promessas que não serão cumpridas… Aí vem um novo ano, que só terá chances de ser novo se renovarmos alguma coisa em nós. 
Que consigamos encontrar bons motivos para querer renovar, disposição para tomarmos as atitudes e sobretudo resiliência para não desanimarmos no caminho. E sendo assim, que ao final de 2018 possamos nos encontrar novamente para falar das novas conquistas que tivemos em 2018.

Grande abraço
Um 2018 de paz, alegria e boas energias para todos nós!

Leila Rodrigues


6 comentários:

  1. Maria Helena Alves- Palestrante30 de dezembro de 2017 20:50

    A fé é que nos move!!! Não importa qual seja o motivo. O importante é ter um!!!
    Faça de cada dia um dia de Ano Novo! Agradeça, acredite, renove as energias e realize!
    Façamos um 2018 muito melhor!!!
    Paz, prosperidade, fé e muito Amor!!!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Sim!! "... Um dia após o outro..."
    Que tenhamos resiliência em nossos atos para que os fatos não nos magoem em demasia!
    Feliz Ano Novo, Leila!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Lindo texto! Feliz ano novo!

    ResponderExcluir
  4. Texto verdadeiro e encantador, adorei!!!❤❤❤

    ResponderExcluir
  5. Como você disse, todo final de ano é sempre asssim: uma correria só.
    Que tantos milhões de brasileiros que chegaram até aqui sem meta a cumprir porque não tinham trabalho; que não participaram de festa de confraternização porque estavam na solidão; que não foram ao supermercado porque o salário não permitia; e tantas outras limitações que os deixaram tristes; que tudo isso fique pra trás, em 2017. Que em 2018 todos possam ter a alegria do " caos saudável". Que todos tenham fé em si mesmos, fé na vida renovada, fé no bem que todos nós temos nem que esteja escondido.
    Um 2018 iluminado e mais justo pra todos!

    ResponderExcluir
  6. Oi Leila que bela cronica como sempre na arte de extrair do cotidiano reflexões e aprendizados. O fim de ano trás sempre estas reflexões sobre comportamento da sociedade, o que voce ilustrou muito bem.
    Que seja um ano novo de verdade amiga e que possamos estar em sintonia em mais um ano, com maior frequência,
    Obrigado.
    Meu terno abraço mineiro de flor.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quiser.
Grande abraço