segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

JC Arcos entrevista Leila Rodrigues


Jornal JC Arcos entrevista Leila Rodrigues


Quem é Leila Rodrigues?
Eu sou uma filha adotiva de Arcos, cresci nesta cidade e fui imensamente feliz com os amigos e as conquistas que tive aqui. São histórias e valores e carrego até hoje comigo. Sou uma empresária do setor de tecnologia e agora também do setor de educação empresarial. Casada, mãe de dois filhos, filha do Sr. Déco e da Dona Neusa. Me considero uma pessoa que descobriu o prazer de escrever através de crônicas do cotidiano. 

Como você se tornou escritora?
Sempre gostei de escrever. Na escola, redações eram um prazer para mim. Em 2011 eu passei por um sequestro relâmpago e isso me abalou muito. Por falta de habilidade manual fui para a escrita. Os primeiros textos eram tristes, depois foram melhorando porque a tristeza nunca foi a minha essência. Logo depois veio o blog, o convite para o primeiro jornal - Jornal Agora Divinópolis, em seguida a revista Xeque Mate, o JC Arcos e por último a revista Inteligência Empresarial. 

Como você concilia a carreira profissional e a de escritora?
Não é fácil! Risos... Se fosse só a carreira profissional e escritora estava tudo resolvido. O problema é que, além das duas, sou mãe, sou filha, sou esposa, sou irmã.... Eu e quase todas as mulheres da minha geração. Eu procuro ser uma pessoa leve e bem humorada. Também conto com uma equipe muito boa ao meu lado profissionalmente o que faz toda diferença.

De onde vem sua inspiração? Como acontece seu processo de criação?
Minha inspiração pode vir de qualquer lugar, gosto muito de ler, conversar e ouvir as histórias das pessoas, elas sempre me inspiram. Sobre meu processo criativo geralmente é de manhã, bem cedinho, enquanto todos ainda estão dormindo. 

Quem são seus escritores preferidos ou que te inspiram?
Gosto muito de crônicas, Mia Couto é uma grande referência para mim. No Brasil também temos excelentes cronistas. Leio muito Rubem Alves, Marta Medeiros e Ruth Manus. Além claro, dos nossos poetas Ariano Suassuna e Adélia Prado, embora a poesia não seja meu forte. 

Qual texto teve maior reconhecimento?
Quando escrevi sobre o Tom Bege o reconhecimento foi muito grande, me surpreendeu. Acho que todos que viveram aquela época se encontraram nele. Com a internet os textos do blog tem sido muito bem recebidos e isto é muito bom. Porém é sempre uma surpresa, as pessoas descobrem um texto e aí espalham para seus grupos e quando você vê, já tem um texto diferente no topo da lista. 

Como é a sua relação com a cidade de Arcos hoje?
Embora eu não tenha nascido em Arcos eu me considero uma filha de Arcos e como meus pais e meus irmãos moram aqui eu sempre venho. Acompanho tudo que é da cidade, gosto de saber do desenvolvimento, torço pela cidade e quando encontro um arcoense em algum lugar do mundo é sempre uma alegria. 

Seus leitores podem sonhar com um livro?
Até então eu achava um pouco cedo para isso, mas confesso que já começo a imaginá-lo. Assunto não falta. 



Notas:
Jornal Agora Divinópolis - http://agora.com.vc
Jornal JC Arcos - 

Mia Couto - Escritor e Moçambique - http://www.miacouto.org


Publicado no JC Arcos em 24/12/2017
Foto do acervo de Leila Rodrigues

3 comentários:

  1. Muito bom conhecer mais de alguém que escreve, e que escreve tão bem. Tomara que sai o livro sim.

    ResponderExcluir
  2. É justo ser reconhecido pelo que se faz sempre com muito amor e empenho, parabéns prezada Leila, que seja você e todos em volta deveras abençoados pelo bondoso Deus, abraços!

    ResponderExcluir
  3. OLá, Leila, ótima sua entrevista, amiga! A escrita foi algo natural em você, nasceu sem você fazer força...
    Beijo, querida! Continue sempre nos brindando com belos textos.

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço