sábado, 28 de janeiro de 2017

Depois de andar muito


Todos os dias você se levanta e vai seguir seu ritual. Você, eu, todos nós. Você se levanta e vai cumprir a missão que a vida te deu. Não importa se você escolheu ou não, se gosta ou não. Todos os dias temos o que fazer, nem que seja esperar os minutos passarem, que é uma das tarefas mais difíceis que o ser humano pode enfrentar. Pode ser que a sua tarefa seja cuidar da casa, alimentar seus filhos. Ou pode ser cuidar de outros, ensinar, empreender, compor, ser famoso, dirigir um caminhão gigante, dar aula de biologia para uma turma de adolescentes ou atender clientes. Alguns têm noção de que isso é missão, porém muitos cumprem sua missão acreditando que é castigo. Faça chuva ou faça sol, um dia animado outro pensativo; um dia acreditando ser missão, outro acreditando ser carma, todos os dias acordamos para fazer alguma coisa. A vida é isso, cumprir todos os dias uma missão que nem nós sabemos direito qual é. 
Um dia você olha para trás e percebe que já percorreu um longo caminho. É amigo, neste momento você percebe que finalmente atingiu aquele lugar sagrado chamado experiência. A rotina, a disciplina, os erros, os acertos e a insistência fizerem de você uma pessoa experiente. Não tem glamour nenhum nisso; tem vivência, história real para contar. 
É muito mais que uma foto, um post na rede social e alguns likes. É vida vivida! Agora você pode olhar para trás e apreciar seu percurso. Rir do seu começo, brincar com a sua história. Só a experiência permite isso. 
Depois de andar muito você agora pode se permitir respirar tranquilo, pode ouvir a si mesmo e, se quiser, também pode se juntar aos mestres e ajudar àqueles que sonham saber o que você sabe. Ainda que nem tudo possa ser aprendido, tudo pode ser ensinado. E você pode diminuir os espinhos dos que estão iniciando a jornada. 
É fato que sempre haverá algo a aprender mas é muito bom saber que tudo foi e será um grande aprendizado. Pode ser que ninguém tenha te aplaudido ou que muito poucos tenham te reconhecido.  Vivemos tantos anos sem que ninguém "curtisse" os nossos feitos que isso agora não é o mais importante. A esta altura aceitamos felizes o que for de verdade. Contudo, para a nossa serenidade e felicidade o melhor mesmo é reconhecermos nossos valores e seguirmos em frente. Não há nada mais libertador que um caminho percorrido.

Leila Rodrigues

Publicado no Jornal Agora Divinópolis e no JC Arcos
Imagem: Foto do fotógrafo Sebastião Salgado - internet



Olá pessoal,

Aprendi muito cedo a respeitar os mais velhos. Minhas avós, pessoas muito presentes e respeitadas em minha família, foram a minha maior escola. Portanto admiro e reverencio a experiência. 
Experiência não é fama. É vida! 
Tenho visto as pessoas confundindo as duas coisas… Que pena!

Grande abraço, sempre vivendo e aprendendo


Leila Rodrigues

2 comentários:

  1. Vida bem vivida... A experiência, a serenidade, a sabedoria seriam a premiação? Faço a coleção delas aos 71 anos, mas sem nenhuma pretensão de homilia exemplar. De jeito nenhum. Sou humana e batalhadora, agora e sempre. Essa é a minha marca registrada! Quero sim "respeito" pelo longo caminho percorrido no trabalho educacional, profissional, familiar e humano. Sua crônica envolveu-me em longa introspecção! Obrigada!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Lindo e respeito é devido, necessário,merecido! Lindo post e vamos que vamos, em frente, caminhar mais e mais...bjs, chica

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço