quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Ponto cego





Já faz alguns anos que eu comecei a trabalhar com os paulistas. Posso dizer que aprendi muito com eles. E esta é mais uma das minhas peripécias paulistana. Aconteceu nas minhas primeiras idas a trabalho a São Paulo. Mineiro quando vai para São Paulo se esbalda no casaco. Fazia frio. Frio com chuva. Coisa comum em São Paulo. E eu me enrolei num cachecol gigante e fui. Me sentindo a própria executiva paulistana, entrei no taxi e fingi que conhecia tudo de São Paulo. Uma executiva que se preze tem que conhecer bem São Paulo. E para mim que conhecia muito pouco ainda, melhor era fingir que conheço e vai ficar tudo bem!  _ Vamos ali na Rua tal. 
E o motorista que de cara deve ter reconhecido a minha mineirisse foi logo perguntando. 
_ A Sra. quer ir pela Marginal ou pela Gastão Vidigal?
E eu insistindo na minha fantasia de paulista respondi que podia ser pela Marginal mesmo. Achei melhor não arriscar, afinal o nome Marginal é mais conhecido, sabe lá se essa outra rua é um beco sem saída e ele vai me sequestrar, me roubar, me estuprar… 
O motorista, por sua vez, continuou insistindo comigo que a Marginal estava cheia, que a gente ia demorar muito, que quando chove a Marginal vira um inferno… Mal sabia ele que no inferno já estava a minha cabeça prevendo o meu futuro dentro daquele carro. Entrei em pânico! Imaginei o sequestro, a notícia na TV, a minha mãe me reconhecendo no IML, a trabalheira que ia dar para me achar… enfim. E o motorista não parava de falar. Até que eu não aguentei e joguei meu disfarce de Paulista pela janela. 
  _ Moço, escuta aqui, eu não tenho a menor ideia de qual caminho é melhor. Eu não sou daqui, não entendo nada desta cidade e tudo que eu sei é que eu preciso chegar neste endereço até as 09:00. O Sr. acha que é possível? O Sr. pode me levar até lá? Ou eu vou ter que sair de dentro deste carro com ele andando, gritando com a mão na cabeça pedindo socorro?
Ele arregalou bem os olhos, virou o pescoço e procurando um jeito de me acalmar disse:
  _ Misericórdia minha Senhora! Depois dizem que mineiro é tranquilo! Pode ficar sossegada que eu vou deixar a senhora sã e salva no endereço que a senhora pediu. 
 - É bom mesmo, porque lá na minha terra, combinado é combinado! E agora pára de me fazer pergunta difícil e dirige esse carro.
 - Sim senhora! Ainda bem que a minha mulher é de Atibaia! Escapei por pouco…



Leila Rodrigues


Imagem da Internet
Publicado no Jornal Agora Divinópolis e no JC Arcos

Gostaria de agradecer a todos pelo carinho com que me receberam no blog depois de um tempo se postar. Muito obrigada a todos! Pelos comentários, pelas visitas, pelos emails enfim por todo esse apoio e carinho que vocês me deram. 
O Palavras é de vocês! Boa leitura!
Abraços

Um comentário:

  1. OI LEILA!
    NA CERTA O MOTORISTA TAMBÉM NÃO ERA DE SÃO PAULO.
    ADOREI TEU TEXTO, CRIATIVO E ENGRAÇADO.
    ABRÇS
    -
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço