quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Encontro marcado



Ele bate à porta. E eu receosa não sei ao certo se devo abrir. Ele cumpriu o combinado e chegou com a precisão de um Lord. Eu, embora soubesse que ele chegaria, me perdi na confusão dos últimos dias e agora não sei o que dizer a ele. Arrumei o cabelo para esperá-lo, comprei vinho, fiz as unhas mas esqueci de preparar o meu coração para esta hora. Sei que ele não vai embora. Vou ter que abrir a porta. A ansiedade começa a me consumir.
Ele esperou muito e eu também. Agora não tem como fugirmos. Seremos nós dois de qualquer jeito. O problema é que ele quer que eu o receba com um sorriso, mas antes eu preciso enxugar as minhas lágrimas. Ele quer que eu o abrace, mas o peso das minhas bagagens não me permite. Ele me quer leve para viver com ele uma grande história. E eu me pergunto até agora como ficar leve diante de tudo que vivi nos últimos tempos. 
Às vezes queremos tanto alguma coisa e quando ela chega não sabemos direito o que fazer. Estou assim agora. É que realmente não está sendo fácil. Eu tenho lutado uma luta insana para dar conta de mim! E em alguns momentos eu desejei que ele chegasse. Eu tinha esperança de que, com a sua chegada algo em mim mudaria e num passe de mágica eu seria uma pessoa melhor, mais equilibrada, mais tranquila, menos apressada, mais persistente, mais cuidadosa, enfim… eu fiz tantas promessas em seu nome que agora que eu sei que ele está do lado de lá desta porta me dei conta da responsabilidade que coloquei em suas mãos.
Sabe de uma coisa? Abri a porta. E vou te dizer logo de uma vez que você não deve confiar muito em mim. Tudo que eu te disser será fruto da emoção do nosso primeiro encontro e que com três meses de convivência você vai descobrir quem eu sou de verdade. Eu faço terapia, tenho medo de barata, sou chocólatra, canto as músicas do Elvis no banheiro e não sei cozinhar. Em contrapartida eu não fumo, gosto de bichos e um dia ainda aprendo a meditar. Não tem como eu apagar a minha história até aqui e começar do zero, eu sou tudo isso que vivi! Mas saiba que você é muito bem-vindo em minha vida e que eu te quero muito bem. Sem promessas e sem clichês eu espero que passemos juntos uma ótima temporada. Que seja verdadeira a nossa convivência e que a gente consiga explorar o melhor um do outro. Seja bem-vindo 2016! Eu estou pronta para vivermos mais uma história de amor! 



Leila Rodrigues

Caros leitores,

chegamos ao final de mais um calendário. Amanhã… tudo continua! Cada um de nós com nossos projetos, nossas expectativas, nossos problemas e nossa difícil e deliciosa tarefa de nos equilibrarmos entre nossas escolhas e suas respectivas consequências.
Um 2016 repleto de boas energias, disposição e muita luz!!!

Grande abraço

Leila Rodrigues


4 comentários:

  1. Obrigada, Leila por boas leituras que sempre me fizeram meditar nos valores da vida! Seja para você e família um ano de felizes realizações, com saúde e harmonia!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Neste que hoje desponta, tudo de bom desejo a ti,intenso e terno.
    Até hoje,procuro ver a mineira turma lá no Clube.
    Um ano à tua altura!
    Ricardo

    ResponderExcluir
  3. Como sempre uma crônicsa bonita, inteligente, gostosa de ler. Se o ano chegou como um lord, assim também ele a tratará, espero. E tratemos bem o ano, façamo-lo melhor. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Adorei o seu texto.
    Magnifico, como sempre, mas com uma bela mensagem de esperança.
    Que sim, que seja assim.
    Está me nós.
    Bom 2016.
    Um abraço.

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço