domingo, 29 de março de 2015

Para você




Da janela eu a vi sair do estacionamento apertado e pegar a avenida principal. Linda! Radiante! Resolvida na medida certa para fazer acontecer e sensível o bastante para não perder a meiguice. No seu coração, em doses proporcionais confiança e medo se equilibram. E eu engulo o choro e a saudade em uma dose única e volto ao trabalho.
O que te dizer no momento da despedida? Sempre soube que este dia chegaria, mas ainda assim, vê-la partir foi uma prova de fogo. Mas a vida não é assim? Os filhos são do mundo. Um dia crescem, no outro descobrem as asas e no outro percebem que o céu não tem fronteiras. Com você não poderia ser diferente. E eu bem sei que chegara seu tempo de voar com as próprias asas.
O que dizer de você minha doce menina? Era para sermos apenas colegas, mas esse seu coração de portas escancaradas nos fez amigas. Era para fazermos algumas coisas interessantes, mas nós fizemos todas as coisas interessantes que víamos pela frente. Era para termos medo, mas a nossa ingenuidade nos deu uma coragem tão grande que juntas enfrentamos mamutes, tigres e leões. Era para eu te ensinar, mas quem aprendeu fui eu. Com você aprendi abrir portas com um sorriso, aprendi não ter medo de cara feia e principalmente aprendi que podemos sair de qualquer lugar pela porta da frente.
O que te desejar neste momento? Eu desejo minha menina que virou mulher, que você alce seus voos sempre em direção à sua felicidade. E que a cada obstáculo que surgir, você se lembre de todas as vezes que o seu sorriso acalmou os leões e faça uso dele. Que você se recorde sempre que a sua competência é bem maior do que a sua modéstia te diz. E que você pode ir muito além do que acredita. Tome posse de suas competências e siga em frente. O mundo é carente de mulheres como você.
Daqui para frente você ocupará o lugar sagrado do meu coração onde ficam as poucas e verdadeiras amizades. Sigamos pois cada uma seu rumo, com a certeza de podermos tomar nosso café com queijo fresco toda vez que a saudade apertar.
Você ficará para sempre no DNA deste lugar. Nas meninas que querem ser como você, nas entrelinhas de tudo que você escreveu. Afinal, de tudo que vivemos o que fica mesmo é a história. Esse traço que marcamos no tempo com as nossas atitudes. Bordado por falas, gestos, lágrimas, sorrisos e olhares. Esse sim é capaz de atravessar até os corações mais duros e frios e lá permanecer para sempre!



Leila Rodrigues

Imagem da internet
Publicado no Jornal Agora Divinópolis em 24/03/2015

9 comentários:

  1. ...não somos nós quem dizemos
    as palavras, e sim elas é
    que nos dizem...
    o que acabo de ler aqui agora
    é fruto de um coração generoso,
    reconhecido e coberto de amor.

    linda homenagem a quem te fez
    tanto bem...que vocês continuem
    sendo amigas/irmãs por todo
    sempre!

    e a vida segue!

    bjs...sempre!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Leila ,gosto muito de ler seus textos ,você tem uma capacidade muito grande de brincar com as palavras....É grandiosa a sua colocação das mesmas,tornando prazeirosa a leitura...Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Aiiii, meu coração, Leila!
    Estou aqui, engasgada, olhando para minha pequena de 5 anos e vendo-a transformar-se, em um piscar de olhos, nessa mulher incrível que você descreve!
    O dia chegará... confesso que hoje sinto medo... de não estar preparada... pois quanto a ela, estou fazendo de tudo para que não tenha medo de abrir as asas e alçar voo, quando chegar a hora. Mas não agora, só quando chegar a hora...

    Preciso dizer quanto adoro tuas palavras, tuas experiências criadas ou vividas, tuas histórias? Será o laço invisível dessa cidade que compartilhamos, sem uma sequer saber da existência da outra? Não sei... só sei que adoro vir aqui!

    Muitas saudades!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. E, como voam, Leila! Novos ares, novas paisagens, novos horizontes... esse é o mundo deles que muito fizeram por nós, em lições diárias de convivência. Felizes são os pais, os amigos que sabem que tudo tem seu tempo para acontecer e que a convivência afetiva jamais será esquecida. É marca registrada entre os afetos. Linda a sua crônica de vida! Parabéns!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Lindo e emocionante! Temos que ver os filhos criar asas, voar ...Ficamos sem chão na hora, depois acostumamos e passamos a torcer, torcer e torcer... beijos,chica

    ResponderExcluir
  6. Saber que há partida, esperar o encontro,pois que esta vida é toda feita de encontros e despedidas e nos maltrata a incerteza da volta.
    Beleza de inspiração nesta reflexão da liberdade, da continuação de vidas.
    Muito bom Leila.
    Abraços com carinho.

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço