segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Uma declaração silenciosa de amor

É mania pura, mas ela só conseguia ir para a cama, depois de se certificar de que todos os filhos estavam, pelo menos, em seus quartos e de pijama. Ainda checava o gás, as janelas, a porta da geladeira e aí sim, ia para a cama. Sim, só para a cama, porque dormir para ela era muito difícil. Significava desligar e isso ela tinha muita dificuldade. Acho que tinha medo de desligar e depois não ligar mais, igual a máquina de lavar. Deve ser isso!
Já era tarde. A cidade dormia, todos dormiam. Inclusive ele (o marido) ali bem do seu lado. Dormia sossegadamente. Ela ouve o seu ronco que a acompanha há tantos anos. São tantos anos que já virou um soneto aos seus ouvidos. Olha para ele dormindo. Observa seu perfil, seus contornos. E no silêncio absoluto daquele quarto, sem que se tenha planejado dizer, palavras lhe surgem da alma:
- Eu continuo amando você! Sim, eu o amo. Você e todo o pacote. Amo o homem que conheci um dia e tudo mais que você adquiriu ou transformou ao longo desses anos. Amo as suas conquistas, suas evoluções e melhorias em tantos aspectos. Em contrapartida continuo odiando na mesma proporção os seus defeitos. Odeio tanto que acho que já virou amor.
 - Amo a sua diferença de mim, por mais que seja difícil conviver com ela. Amo as nossas "coisinhas" comuns, aquelas que guardamos só para nós dois. São palavras, gestos, jeitos, formas, enfim, atitudes tão nossas, tão únicas de nós dois que descrevê-las não justifica, uma vez que o mundo não as compreenderia como nós. Essas são as verdadeiras alianças da nossa união.
 - Assim dormindo você está tão diferente. Tranquilo! Sabe que eu continuo te achando bonito? Mesmo com menos cabelo, com mais barriga, com menos ou com mais qualquer coisa...
 - Eu poderia  te dizer tudo isso à luz do dia, olho no olho. Eu sei. Mas desta vez eu estou falando é para mim mesma. Digamos que, desta vez, eu quis dizer primeiro para mim, para então, depois, executar para você. Executar o meu amor por você, no dia a dia de nós dois.
 - Você continua aí dormindo. Morro de inveja desse seu sono! Penso se te acordo ou não? Penso em te acordar com meus beijos. Em passear as minhas mãos por você. Imagino uma sessão avassaladora do mais puro sexo, depois umas colheradas de creme de avelã, nossas risadas de sempre e dormir.  Imagino... Imagino... Imagino... Sinto que vou te dar trabalho!
... Olha o despertador e lembra que amanhã é quarta-feira. Decide então deixá-lo dormir. Se enrosca nele e dorme também.

Leila Rodrigues

12 comentários:

  1. Um lindo e emocionante texto de amor.Beijos

    ResponderExcluir
  2. Ah! Que linda declaração de amor! Silenciosa e plena! Viver assim é realmente conhecer e desfrutar do verdaeiro amor - simples e autêntico - como deve (deveria) ser!!
    [ ] Célia.

    ResponderExcluir
  3. É Leila, a nossa vida é multiplicada em mil atividades, mas mesmo assim, maravilhosa quando existe amor no que fazemos e recebemos.Texto lindo! Passei aqui para ler teu belo texto e te desejar dias iluminados e felizes.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  4. ...que coisa mais linda,
    meu Deus!

    quanta inspiração para definir
    um amor de verdade, e que portanto
    o tempo só faz crescer.

    bjs, alma linda!

    ResponderExcluir
  5. Minha querida

    Uma silenciosa declaração de amor...ternura de almas que se entendem, adorei ler a doçura contida neste texto.

    Deixo um beijinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  6. Pois... Dormir também é bom!

    Sou fã!

    Bjsss

    ResponderExcluir
  7. Leila, passei pra deixar meu abraço!
    Como sempre, você e suas belas e profundas palavras!
    Estou de volta!!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Que belo Leila!

    Sensível silêncio de um amor, competentemente escrito. Um dia ainda consigo escrever assim. Parabéns!

    Um abração.

    ResponderExcluir
  9. O amor verdadeiro transbordou deste texto: e isso mesmo. Uma alinaça entre os dois feita de "coisitas" que mais ninguém entende; essa cumplicidade, esse gostar apesar das marcas da passagem do tempo...que lindo! sabe? Eu sinto isso, e estou casada há 24 anos. Sempre vivi este amor imenso que sinto por meu marido; agora que ele fez cirurgia a um cancro eu tenho muito medo, um medo terrível de o ver sofrer, de o perder.Cada momento do meu dia me dedico a fazer com que ele sinta o quento é amado. Não tem mais ninguém: não temos filhos...não pude etr; e os pais dele faleceram- então ele só me tem a mim. Mas eu o amo por mim e por todos...quero qu ele sinta um amor imenso rodeando-o a toda a hora. Gostei de te ler. Um beijo.

    ResponderExcluir
  10. Ai..ai..ai..

    Ja assiti esse filme antes...

    Um beijo...

    ResponderExcluir
  11. Essa minha filha é demais,kkkkkkkkkkkk
    Será que era isso que queria escrever tbm,kkkkkkkkkkkkkkkkk.
    Outra hr voltarei para comentar...
    bjssssssssssssss

    ResponderExcluir
  12. Boa tarde minha amiga fidalga!
    Uma declaração de amor!
    Uma declaração silenciosa,é tudo que o amor fala por si.Existem muitas maneiras de definir o amor e declarar são poucos para ter a coragem,se sentir como ser humano,no sentido carne-osso-pele-sangue é fácil...mas gritar seu sentimento,são prá poucos...
    bjsssssssssssssss

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço