sábado, 24 de setembro de 2011

Futuro Calculado


Quando adolescente eu calculava meu futuro. Pensava, me imaginava lá na frente, fazia alguns planos e depois saia para o mundo. Não que os meus planos ficassem na gaveta, mas eles nunca me incomodaram a ponto de me sufocar. Eu era capaz de tê-los e viver os momentos bons de toda jovem. Sair, namorar, viajar, enfim, acho que, com leveza, fui construindo o que seria então, meu futuro.
Porém, na tentativa de dar conta de todos os "recados" que a vida me trouxe, fui me tornando uma pessoa mais metódica. Hora para isso, dia de aquilo. Claro, hoje até nossas crianças de 6 anos tem agenda para cumprir.  Faz parte do dia-a-dia de todos nós termos compromissos e obviamente agendá-los. Talvez o problema seja este mesmo "agenda".
O fato é que agendamos tão bem nossos dias, semanas, meses e anos que não paramos para observar alguns problemas graves que decorrem desse fato: O primeiro é que, enquanto estamos pensando no daqui a pouco, esquecemos o agora. Tomamos café da manhã, pensando em como será a manhã de trabalho; enquanto levamos o filho na escola, traçamos o caminho de volta e todos os lugares que temos que passar. Raramente estamos concentrados no momento presente. Fazemos as coisas tão mecanicamente, que não conseguimos mensurar o sabor das nossas atitudes.
Outro problema decorrente é que, qualquer anormalidade nesta agenda traçada em nossa cabeça, é capaz de arruinar com nossos dias ou noites. Temos paciência zero para sair do quadrado. O pior é que dizemos em alto e bom tom que adaptar-se às mudanças é a chave do sucesso. Como assim? Se não somos capazes de entender um desvio no trânsito ou um chuveiro que estraga dentro da nossa própria casa?
E nessa de planejarmos demais, ainda enxergo mais uma crueldade que fazemos conosco. Onde foram parar as surpresas da vida? Sumiram! Está tudo tão planejado que surpresas não existem mais. Encontros inesperados, aniversário surpresa, surpreender o parceiro ou a parceira com uma algo diferente?! Ah! Isso já ficou demodê!
Estamos ficando velhos? Sim, claro! Isso é um fato, todos nós estamos, até quem nasceu ontem. Mas acho que, enquanto gastamos uma energia gigantesca tentando retardar a velhice do corpo, avançamos na mesma proporção atraindo a velhice da alma.

Leila Rodrigues


Este texto foi publicado no dia 20/09, Jornal Agora (Divinópolis), o qual, passei a ser mais uma colaboradora. Meus textos são publicados toda terça-feira.
Obrigada à direção do jornal, pela oportunidade e a todos os leitores pela atenção às minhas palavras.

29 comentários:

  1. Leila..... hoje acordei pensando em vc..senti saudades..
    Vinha te visitar..mas vc chegou antes...que bom!!

    Por vezes achamos nossa vida sem SAL e sem SOL.
    Sentimos até um vazio... como se faltasse algo.
    Não sabemos definir o que é.
    Pq se analizamos pelo racional.. este sentimento faz-se desnecessário.
    Agora me dei conta da palavra RACIONAL.
    Acredito que as vezes temos que deixar esta RACIONALIDADE em Stand By.
    Temos que deixar guiar pela nossa emoção.
    Claro que com equilibrio sempre.
    Mas as coisas que realmente nos fazem felizes muitas vem desta falta de "horas" marcadas..

    Aquela reunião com amigos, resolvidas e ultima hora..
    Aquele novo corte de cabelo... aquela saida sozinha..sem hora pra chegar..

    Um respirar diferente..

    Os velhos hábitos impregnam, em nosso ser. Mas temos que ser resistentes a eles.

    Um beijinho....
    Parabéns pelas suas cronicas estrem sendo publicadas em outros meios.
    Vc merece... tem talento e é muito querida!
    bj

    ResponderExcluir
  2. Olá, Leila! Duplo parabéns! Um pela "conscienciosidade" do texto no relato de perdas importantes de momentos que não retrocedem; e outro pelo espaço no Jornal Agora como colaboradora! Merecido!
    [ ] Célia.

    ResponderExcluir
  3. Leila, descobri seu blog e confesso que adorei o mesmo. O texto é excelente e vale a pena ser lido e publicado em todos os meios de comunicação.

    É uma realidade que vivemos nos dias de hoje - uns mais, outros menos - mas o certo é que as vezes esquecemos de viver o presente já pensando no futuro. E isso nos torna meros escravos do tempo.

    Parabéns!!

    Bj

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto!
    Voce tem mesmo o dom das palavras...
    Voce vÊ a realidade da vida, das coisas e das pessoas e as transforma em palavras claras e certeiras.

    ResponderExcluir
  5. Estimada e Genial Amiga:
    Um texto fabuloso que é um hino à nossa existência. Lindo e perfeito.
    Escreve com beleza e pureza no seu sentir majestoso de um excelente bom gosto e requinte apurado.
    É fantástica num texto admirável do quotidiano das pessoas.
    Já o registei em mim e no que sou.
    Abraço amigo de respeito pelo sua gigantesca magia.
    Sempre a admirá-la pelo ser genial que é.

    pena

    MUITO OBRIGADO pela sua visita ao meu blogue e por se preocupar comigo.
    Honra-me, a sua pura amizade.
    É linda.
    Bem-Haja, pelo encanto de si e do que faz de enorme significação.

    ResponderExcluir
  6. Leila, querida amiga!
    Já estou te chamando de amiga, tá bom? Espero que goste, pois é sincero.
    Mas que coincidência, eu estava mesmo pensando que esse texto está muito bom para ser publicado na mídia impressa, e você já é colaboradora de um jornal! Maravilha! Parabéns!

    Texto excelente!
    O problema é a agenda. rsrs Concordo. A agenda que nos faz prisioneiros, mas que sem nos organizarmos, ficaríamos ainda mais sem tempo para o tempo! :)
    Parabéns!
    Beijosss

    ResponderExcluir
  7. Leila,vc é mesmo uma cronista de mão cheia e Divinópolis ganhou uma excelente colaboradora!Adorei seu texto que me fez refletir até quanto vale a pena planejar demais nossos dias!Bjs,

    ResponderExcluir
  8. Sábias palavras e relevante proposta para reflexão! É isso mesmo o que fazemos, atropelamos o presente com os planos do futuro e não vivemos nem um, nem outro... sempre correndo, correndo... e perdendo uma porção de pequenas grandes coisas das quais sentiremos falta quando olharmos para trás e tentarmos entender onde estávamos - mentalmente e não fisicamente - que não vimos nossos filhos crescerem, entre outras tristes descobertas.

    Talvez pudéssemos fazer como Quintana, grande poeta, e sem olhar no relógio ir jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas... mas quem tem coragem de fazê-lo em nossos dias?!

    Bela postagem! Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Parabéns por essa conquista, Leila. É ótimo saber que a população poderá conhecer sua escrita através do jornal, afinal, ainda não são todas as pessoas que têm acesso livre a internet.
    Beijo, sucesso!

    ResponderExcluir
  10. Leila querida, adoro sua foto, é de uma alegria e leveza bonita de ser ver, de verdade!

    Adorei a crônica, dizemos tanto que o tempo é precioso e esquecemos de olhar os detalhes que ele nos apresenta, esquecemos de viver o agora, vivemos uma eterna espera.
    bjokitas com imenso carinho :)

    ResponderExcluir
  11. Que legal!!!! Mto bom mesmo...
    http://palavrasaventureiras.blogspot.com/ passa lá...

    ResponderExcluir
  12. Bom dia minha amiga fidalga!
    Até nas escritas vc se revela fidalguia,kkkkkkkkkk,agora diga que estou errada,kkkkkkkkk,
    Amiga querida !Seu texto transforma nossos pensamentos na medida que vamos lendo;engraçado quando pegamos esse tipo de leitura...pq surgem mil idéias dentro do contexto.
    Muito bom .Aproveito para pedir;continue escrevendo para sentirmos seu encantamento pela escrita...aplausossssssssssss

    ResponderExcluir
  13. Ola,

    O futuro tem muitos nomes.
    Para os fracos é o inalcansável.
    para os temerosos, o desconhecido.
    Para os valentes é a oportunidade.

    Adriana
    Clube dos Novos Autores

    ResponderExcluir
  14. Que consigamos calcular assim nossos caminhos, nossa vida...grande beijo de boa semana pra ti amiga.

    ResponderExcluir
  15. Parabéns pela colaboração no Jornal ,pois,seus textos muito bem escritos e modernos irá enriquecer as páginas desta publicação. Bjs

    ResponderExcluir
  16. Nossa isso é tudo o que sinto, também vivo me policiando para prestar atenção no presente ao invés de sempre divagar planos para cada um dos dias. Ótimo texto.

    ResponderExcluir
  17. Leila,
    vim te agradecer a tão belas palavras lá no meu blog, no post sobre meu paizinho. Muito obrigada!
    De coração! Emocionei-me...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  18. Caminhamos todos no mesmo sentido -

    o da seta imperturbável do tempo!

    Bjsss

    ResponderExcluir
  19. Olá,Leila!!

    Tão verdadeiro seu texto!!Estamos vivendo exatamente assim...e as surpresas sumiram!!!!Nosso dia organizado não permite!Temos que mudar,enquanto podemos!
    Linda reflexão!!
    **Parabéns por ser mais uma colaboradora do jornal!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Olá Leila,

    Narraste o dia-a-dia de todos, quando já não somos mais donos de nós mesmos. Seguimos em obediência ao que nos é proposto e dentro do contexto, gosto a gosto enquanto outros sim, ao necessário, ainda que seja entre atropelo.
    A mulher é cumpridora de vários fatores, seja a profissão, seja em casa, ela não para. Os sonhos ficam esquecidos e os cuidados conosco, por vezes falha... O que precisa se não satisfação, para desmembrar um sorriso. Aquele aperto de cinto, umas férias, a merecida, buscar um certo paraíso, aquele que construimos, se assim ele não existe, se inventa. Envelhecer sim, o tempo nos leva, é fator garantido, no corre, corre que nos escraviza. Manter a alma jovial, levando em jogo de cintura, sem isto fica difícil se lançar as nossas venturas...

    Mas é isto aí minha amiga, feliz de quem consegue um isto ou aquilo deixando que a vida nos leve...

    Obrigado pela tua visita.
    Gostei muito do teu espaço e parabéns pela participação no jornal de tua cidade.

    Abraços

    Livinha

    ResponderExcluir
  21. Leila....eu adoro o nome Leila..

    Acho que eu pudesse escolher um nome...rsrs

    Passando pra te dar um beijo de boa semana...

    ResponderExcluir
  22. Bom dia,Leila!!

    Tenha uma ótima terça querida!!
    Beijos pra ti!

    ResponderExcluir
  23. Bom dia Leila!

    Nessa “modernidade” esquisita, desaprendemos a viver o tempo presente. Saímos desarvorados perseguindo o tempo futuro. Quando nos damos conta, a vida passou e não se viu. Resta lamentar o passado que se perdeu.

    Um abração.

    ResponderExcluir
  24. Minha querida

    Neste texto retratas as vidas de tanta gente, adorei ler e deixo um beijinho com carinho.

    Sonhadora

    ResponderExcluir
  25. Bom alvorecer !
    Depois que o bicho(vírus) se instalou no meu blog,me fechei e só hj que estou abrindo com uma postagem linda e emocionante.
    Te convido a ir lá,depois passarei por aqui para fazer meu comentário...Tenha um dia fenomenal e de muita luz...
    Grata pela amizade...Particularmente estava com saudades de viajar nesse universo,junto com vcs...por amar demais(sonhadora)todos.
    Bjs para aquecer teu dia!

    ResponderExcluir
  26. Olá, parabéns pelo lindo blog, já estou seguindo e aproveito para convidá-la à participar do meu blog. Me add tb no facebook, estou como Bolo Doce Bolo Buffet. Bjs e sucesso!!!

    ResponderExcluir
  27. Querida Amiga
    Abraço amigo de muito boa tarde!
    Hoje vim agradecer a sua carinhosa presença lá no meu cantinho através de seus carinhosos comentários!
    Pois;
    Amizade é um laço fraterno que vai se conquistando pouco a pouco.
    Amizade é um elo de Amor que vai se fortalecendo dia apôs dia.
    Amizade requer uma sabedoria toda própria, para que ela cresça e amadureça.
    Amizade é um sentimento de Amor que é perseverante nela mesma.
    O que seria de nós sem este elo de Amor!
    A amizade
    Abraço amigo
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  28. Parabéns pelo texto!

    Vá mantendo a sua agenda!

    Bjsss

    ResponderExcluir
  29. Passando para deixar um xeroooooooooo
    e desejar uma tarde fenomenal !

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço