sábado, 1 de julho de 2017

Ontem outra vez



A expectativa era grande. Depois de meses de busca, eles conseguiram se juntar. Primeiro virtualmente. Criaram um grupo e cada um foi descobrindo mais um e mais um, até formarem de novo a turma toda. Os mais discretos participavam como ouvintes, no máximo comentavam com algumas palmas. Os mais atirados ficaram por conta de relembrar as boas histórias, os apelidos, os fatos inesquecíveis… E a cada dia eles se entrosavam um pouco mais. 
Depois de um dia cheio de trabalho, parar para ouvir os casos da turma era diversão garantida. Até que alguém sugeriu que se reunissem. Opa! Será que conseguiremos? Mas Fabiano mora muito longe, Valéria saiu do país e Martinha, coitada, está cuidando da mãe doente! Coisas da vida! Coisas de quem cresceu. Mas a vontade de se encontrarem foi tamanha que, aos poucos eles deram um jeito e tudo fluiu para o famoso encontro. 
Marta pensou em Cássio, será que casou? Alessandro pensou em Marlene, será que continua bonita? E todos pensaram em como cada um estaria. Nesta hora acontece aqueles 5 minutos de medo de não estar tão bem como os outros.Mas passa tão rápido que se perde na vontade de reencontrar. 
E tudo aconteceu melhor que a encomenda. Amigos de uma geração que se juntaram para matar a saudade, para provar que o bom da vida ainda é o abraço. Que mais importante que estar em forma é estar de bem com a vida. 
Alguém vai dizer que é nostalgia. Não está errado. Mas vou revidar garantindo que é muito mais. Viajar no tempo, no tempo do nosso frescor, no tempo em que não tínhamos pressa nenhuma de viver é um dos maiores presentes que o ser humano pode se dar. Juntar pessoas de uma mesma geração, que viveram juntas uma parte da história de cada um, abraçar um, lembrar do outro, cumprimentar todos e ter a mais tranquila das certezas, de que o tempo passou para todos nós! E passou muito bem! Passou como tinha que passar. Passou e virou história! Passou e fez daquele grupo homens e mulheres de negócios, pais e mães de família extraordinários, avós carinhosos e sobretudo pessoas de bem. O tempo fez deles senhores. E ali estavam todos, senhores de hoje revivendo o frescor de ontem, ainda tão cristalino em suas memórias. Parece que foi ontem! E foi mesmo! 
Ainda ontem plantavam seus sonhos embalados pelo mesmo som e hoje comemoram juntos os frutos de suas colheitas. Não há tesouro maior que este! 


Leila Rodrigues


Publicado no Jornal Agora Divinópolis e no JC Arcos
Imagem do meu acervo pessoal


Ola pessoal,

não importa se você se formou há 30 anos ou há 5 anos. Reunir a turma é sempre uma aventura deliciosa. Pode ser a turma do inglês, a turma do basquete, a turma da Yoga. Turma não tem restrição. E reunir pessoas que passaram juntas uma parte da nossa história é sempre uma alegria.
Esta história não é minha. Infelizmente a minha turma ainda não conseguiu fazer isso. Mas quem sabe depois desse a gente anima?! Fica a dica!
E para você que, como eu, não conseguiu juntar sua turma, reúna quem você puder, se junte com um, com dois, com quantos conseguir. O importante é o momento do abraço. O importante é nos darmos esses raros presentes. Nada, absolutamente nada substitui o abraço! Pensemos nisso e que nossas atitudes nos levem a menos cliques e mais abraços de verdade.
Sempre me despeço de todos com um grande abraço, Mas hoje vou fazer diferente, me despeço com grande abraço em alguém que você ama e esteja por perto. Um amigo, um amor, um filho… dê um abraço demorado nesta pessoa. Apenas isso.

A gente se encontra na próxima crônica.



Leila Rodrigues

2 comentários:

  1. Desses momentos reverte-se em boas memórias quando concluímos que corremos atrás de nossos sonhos, e entre choros, alegrias e surpresas, a tudo rubricamos com nosso abraço de encontrar corações!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, Leila. Ru me emocionei com suas palavras finais.
    Dar um abraço em quem estiver ao nosso lado.
    Alguns abraços me fazem chorar...
    Como é bom reunirmos pessoas com quem tivemos vinculos ,rever, sentir que a vida muda, se transforma, mas sim existe amor é como se tivéssemis nos visto ontem, sem vazio algum.
    Acho que o virtual, para quem não save usar, nos afasta de amores
    Reencontro não tem idade mesmo.
    Triste é ver que pessoas ao nosso lado se afastam...
    Parabéns,emocionante!
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço