sexta-feira, 3 de março de 2017

Marlene


Oi amiga, hoje pensei em você. Para dizer a verdade hoje precisei de você. Precisei desesperadamente de você. Não, não aconteceu nenhuma tragédia na família, está tudo bem com meus filhos e o meu casamento continua de pé. Mas sabe aqueles dias em que nem as crônicas da Leila Ferreira poderiam nos salvar? Pois é! Aconteceu comigo hoje. É quando precisamos de alguém para contar que o corte de cabelo ficou péssimo, que a dieta não deu certo ou que aquele projeto dos sonhos foi por água abaixo. Nessas horas não serve marido, nem namorado, nem vizinha. Esse é o momento que os Deuses reservam para as amigas. E no meu caso, hoje eu queria você.
Quis ligar; mas esbarrei nas minhas convicções perversas: "Será que ela vai poder me ouvir? Será que ainda se interessa pelos meus assuntos?” Amiga, a vida nos levou por caminhos tão diferentes que eu me pego incompetente na hora de conversar com você. Eu não entendo mais de balada, não sei mais qual a sua música preferida nem quem são os homens que você namora hoje. Ops! Perdão. A palavra “namora” já mudou de sentido. Então como eu ia dizendo, não sei mais quem são os ficantes da sua vida. Em contrapartida, tenho certeza de que os temas, festa de criança, escola de futebol e fralda não te interessam nem um pouco. E aí, presa a essa minha crença estúpida, eu fico aqui com saudade dos tempos em que vestíamos as roupas uma da outra, que usávamos o mesmo baton ou que dividíamos aquele sanduíche medonho da faculdade. 
Ah amiga eu devo confessar que tenho inveja da sua liberdade de ir e vir quando e onde você quiser e te adianto que embora a foto pareça perfeita, a minha vida não é nenhum comercial de margarina. Fizemos escolhas diferentes, é fato. Mas não existe lado certo ou errado. Todas nós choramos sozinhas em algum momento e todas nós temos dias como este, em que só uma amiga resolveria o problema. Onde quer que você esteja agora, você sempre será a minha amiga Marlene, aquela que conheceu os meus segredos mais íntimos e as minhas verdades mais veladas. Vida que vivemos juntas, que sonhamos juntas. Que cantamos, choramos e rimos juntas. Vida que valeu a pena viver. Saudades de você!

Leila Rodrigues

Publicado na Edição 22 - Janeiro/Fevereiro 2017 da Revista Xeque Mate


Olá pessoal,

demorei para postar porque esperei Marlene receber a revista. 
Sim, respondendo à pergunta de muitos, Marlene existe. Marlene é daquelas pessoas que a gente guarda debaixo de sete chaves dentro do coração. 
Todos nós precisamos de uma Marlene na vida. Não importa o nome da sua Marlene, abrace-a e agradeça-a por existir.

Mais uma vez gostaria de agradecer ao Giovani Lima pela oportunidade de escrever na Revista Xeque Mate, principalmente porque falar de pessoas especiais é sempre uma alegria. E através da Revista as pessoas podem conhecer um pouco dessas mulheres maravilhosas.
Obrigada Giovani!

Grande abraço



Leila Rodrigues

15 comentários:

  1. Lindo texto amiga . E você sabe que as vezes VOCÊ é a minha MARLENE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Romilda querida. Você também é uma "Marlene" em minha vida!!!

      Excluir
  2. Lindo seu texto como sempre.
    e também sabe que VOCÊ é a minha MARLENE.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Ah! As nossas "Marlenes" - joias raras que devemos conservar em porta-joias...
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho de sempre Célia Rangel. Que saibamos cultivar nossas "Marlenes". Grande abraço

      Excluir
  4. Boa noite, Leila.
    Crônica bem sensível onde revela a fragilidade humana.
    Ninguém está isento de sentir-se abalado, questionador e triste em muitos dias.
    Bom mesmo é ter uma "Marlene" para nos ouvir sem julgamentos.
    Parabéns.
    Excelente fim de semana de paz!
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Patrícia Pinna, que saibamos cultivar nossas "Marlenes".
      Grande abraço

      Excluir
  5. Obrigada Patrícia Pinna, que saibamos cultivar nossas "Marlenes".
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  6. Minha querida amiga a emoção foi tamanha ao receber a Revista Xeque com tantas palavras de carinho, sentimentos verdadeiros vividos! Você sabe também que ocupa espaço grande na minha VIDA e como te disse faz ela VALER A PENA! Obrigada pra SEMPRE!!!

    ResponderExcluir
  7. Minha querida amiga a emoção foi tamanha ao receber a Revista Xeque com tantas palavras de carinho, sentimentos verdadeiros vividos! Você sabe também que ocupa espaço grande na minha VIDA e como te disse faz ela VALER A PENA! Obrigada pra SEMPRE!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por existir minha amiga.
      estarei sempre aqui
      bjs

      Excluir
  8. OI LEILA!
    INTERESSANTE, CRIAR UMA PERSONAGEM E FAZER DELA NOSSA MELHOR AMIGA, NUM MOMENTO EM QUE OS RELACIONAMENTOS DE AMIZADES SINCERAS ESTÃO BASTANTE DIFÍCEIS, NA CERTA, PREENCHE UMA LACUNA IMPORTANTE.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Zilani, muito obrigada pela visita.

      Gosto muito de criar personagens, mas Marlene existe realmente é uma pessoa muito importante em minha vida.

      Grande abraço, fiquei muito feliz de vê-la aqui.

      Leila

      Excluir
  9. Adorei seu texto, Leila!! Você é fantástica. Pois é, minha Marlene faleceu no ano passado, senti muito, éramos muito amigas desde o tempo de solteiras. Faleceu muito cedo, era fumante... E como eu avisei! Sua crônica trouxe muitas lembranças boas, mas uma triste!
    Beijo, querida! Sou sua fã!

    ResponderExcluir
  10. Tais minha querida, eu é que sou sua fã! Me divirto com seus textos sempre bem-humorados. Obrigada pela visita e que as lembranças da sua Marlene sejam boas e conforte seu coração.
    Bjs amiga, a recíproca é verdadeira.

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço