sábado, 25 de fevereiro de 2017

Muito além da paisagem



A viagem havia sido incrível. Um país organizado, com cidades limpas, bem traçadas e bem cuidadas. Um sonho para nós brasileiros. Turma boa, divertida e animada. E eu, como faço sempre, tentava achar uma foto que conseguisse representar esta minha última viagem. Tenho o costume de selecionar uma foto em cada viagem que faço. Esta foto eu imprimo e acrescento ao meu álbum. Pode rir, eu sou das antigas, ainda tenho um álbum de fotos!
Dentre as tantas fotos que a turma fez, todas impecáveis e muito bem tratadas, nenhuma conseguia expressar o que eu buscava. Até que uma, dentro do metrô, da turma inteira voltando de um dia exaustivo de passeio me chamou a atenção. Estávamos todos cansados e desarrumados. Nada bons para uma boa foto convencional.  Mas estávamos felizes, todos sorrindo. Provavelmente de alguma mancada que um deu ou alguma besteira que o outro falou. Esta sim, representou aqueles dias que passamos juntos. Esta foi a minha escolhida. 
O melhor da viagem não está na paisagem de cartão postal. O melhor da viagem é o que você vivência enquanto está lá. As descobertas, as trapalhadas, os sabores estranhos, os lugares inusitados e os apertos na hora da comunicação são os maiores motivos de riso e de altas gargalhadas. O melhor da viagem são os casos que ela produz.
A foto montada, perfeita, onde todos sorriem juntos e olham para o mesmo ângulo é linda, mas nem sempre é real. A realidade da viagem é outra! Queria ter registrado aquela hora em que eu e minha amiga, de pânico, descemos abraçadas e aos gritos a montanha russa. Queria ter registrado a minha amiga falando inglês com um chinês. Queria ter registrado o choro do meu filho quando encontrou o super-herói preferido dele e a minha emoção quando vi  neve caindo pela primeira vez. Infelizmente desses fatos eu não tenho fotos. Mas guardo-os todos comigo como histórias preciosas para contar para os meus netos ou para relembrar quando der saudade. 
A fotografia hoje ficou tão banal que não eterniza mais os momentos. De tudo se faz um filme, uma selfie, um vídeo. De tão fácil, ficou descartável. Hoje ela dura apenas até a próxima viagem, a próxima festa ou o próximo celular. Pena não pararem para observar a grandeza dos momentos que ficaram para trás, seja porque não estavam adequados para um post ou porque a paisagem não estava boa. Perderam o melhor da festa!


Leila Rodrigues

Publicado no Jornal Agora e no JC Arcos
Imagem da Internet

Olá pessoal,


Viajar expande nossos horizontes para muito além da paisagem que se descortina. Viajar nos mostra outras opções, outras opiniões e consequentemente nos proporciona reflexão. Faz bem! 
E para quem não pode viajar, seja por qual motivo for, vou trazer aqui uma fala sábia de minha avó, quando na minha infância eu não tinha condições de viajar: “Viaje nos livros, com eles você pode ir onde sua imaginação quiser.”  

Para quem mora em uma cidade que não tem carnaval, como eu moro (Divinópolis), esses dias são ideais para descansar, assistir um bom filme, meditar, caminhar ou quem sabe viajar nos livros… enfim, atividade não falta. 
Independente de como você pretende curtir a folia, eu te desejo que esses dias sejam de boas energias e alegria. 
Grande abraço

Leila Rodrigues




3 comentários:

  1. Amo viajar! Me vi nesse texto. O melhor está no invisível, realmente.��������

    ResponderExcluir
  2. Amo viajar. Me vi n texto.realmente o melhor é invisivel aos olhos.👏👏👏👏

    ResponderExcluir
  3. Vivencias desfrutando cada momento e registrá-lo na alma e no coração... Para isso não há tecnologia que supere!
    Abraço.

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço