quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Rio 2016 - A emoção




Ouviram do Ipiranga um grito! Não! Não era do Ipiranga, deve ter sido do Maracanã, ou de algum outro canto do Rio de Janeiro. Era a torcida brasileira! Esse povo heróico que mesmo sem dinheiro lotou os estádios com seu brado retumbante para apoiar seus atletas nas mais diversas modalidades. Com braços fortes nossos atletas remaram, chutaram, bloquearam, levantaram, lutaram, dançaram e saltaram.
Desafia o nosso peito a emoção. A emoção de ouvir e cantar o Hino Nacional Brasileiro; de ver a nossa bandeira à frente das outras. Naquele momento, Brasil, um sonho intenso de me orgulhar de ti não só no esporte. E a vontade de que um raio vívido de amor e de esperança realmente desça a esta terra e melhore o nosso país.
Ó meu gigante pela própria natureza, reconhece a tua força e o quanto és, belo e és forte. E o que o teu futuro espelhe-se nos nossos atletas que lutaram até o fim com o objetivo único de vencer em nome do Brasil.
Levanta desse berço esplêndido ó meu amado pais e vai à luta. Se nossos bosques têm mais vida, que tenham também dignidade, respeito e segurança para os que vivem nele. Só assim poderemos promover em teu seio mais amores.
Brasil de amor eterno que nossos atletas sejam símbolo para aqueles que ainda nos envergonham, seja no jeitinho brasileiro de “tirar o seu” até as grandes somas que afetam a economia de todo um país. E que diga o verde louro desta flâmula, segurança no futuro e aprendizado com o passado. 
Mas se ergues da justiça a clava forte, verás que um filho teu levanta cedo e vai à luta. Que mesmo temendo a morte por uma bala perdida ou um assalto, terra adorada, ainda estamos aqui porque acreditamos em ti.
Entre outras mil,  talvez seja realmente mais fácil morar na Tailândia, na Flórida, ou até no Panamá. Porém és tu Brasil a minha pátria amada e como filho deste solo é por ti que eu choro meu amado e idolatrado país. 
Foi emocionante ver o meu pais inteiro torcer, chorar e cantar. Chorar um choro bom. Cantar entre lágrimas. Lágrimas de orgulho de ser brasileiro. Enquanto choro penso na luta que travaram para chegar até ali. Quantas noites sem dormir, quantos desafios! Que inspirados nos esforços dos nossos atletas, tratemos de trabalhar e levar a sério todas as questões de nossas cidades, nossos estados e nosso país. Juntos, podemos fazer o nosso gigante acordar e ocupar um lugar melhor no podium da sua história!


Leila Rodrigues


Publicado no Jornal Agora Divinópolis em 23/08/2016
Imagem da Internet - Muito difícil escolher só 3 imagens!!!!




Olá pessoal,

Desta vez fiz questão de participar. Não fui ao Rio, mas assisti o que foi possível das Olimpíadas Rio 2016. Principalmente os noticiários da noite que resumiam o dia muito bem. Torci, vibrei, chorei com o Hino Nacional e com o povo brasileiro, em especial o carioca que fez bonito na medida das nossas possibilidades. Tenho um filho de 12 anos que adora esportes em geral, em especial o futebol e fui junto com ele que vivi essas emoções e todas as lições que um evento esta grandeza tem para nos ensinar. Impossível não torcer, impossível não se emocionar!!
Que venham as Paralimpíadas que eu pretendo acompanhar de novo e torcer com a mesma garra pelo meu país. Encerro os jogos com uma certeza, Brasil eu continuo amando você!

Grande abraço

Leila Rodrigues




Este momento foi o meu escolhido!! Maravilhoso!!!!



Um comentário:

  1. Leila, adorei, me orgulhei da criatividade brasileira na festa da abertura, realmente um mega show. Brasileiro sabe fazer festa, veja o Carnaval... Porém, estou assistindo desde o início o impeachment da Dilma. E isso, essa lambança de corrupção do nosso país, penso que tirou muito do brilho das Olimpíadas, o que lastimo. Os brasileiros estão se perguntando, quem pagou essa festa fantástica? Quantos bilhões?
    Também tenho orgulho de ser brasileira, gostaria de ver nosso país nos trilhos, um país sério. O povo merece.
    Beijo, Leila!

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço