sábado, 5 de janeiro de 2013

Quero ser passarinho








O sol nem quis aparecer.  Mas eles vieram cantar mesmo assim. A comunidade de pássaro-preto que encanta as minhas manhãs não faltou. 

Eles são muitos. Imagino que seja mesmo uma comunidade. A chuva e os primeiros barulhos do dia começam a interferir na melodia. Mas eles não param. Continuam cantando no mesmo tom, no mesmo ritmo. Essa capacidade de não parar frente às adversidades me comove. Todo dia, na mesma hora, eles entoam suas melodias. Faça chuva ou faça sol. Sem atraso. Com plateia ou sem plateia, eles cantam. 
Gostaria de ser tão disciplinada assim. Gostaria de ser evoluída o bastante para seguir com meus propósitos mesmo diante das adversidades. Ainda não sou pássaro. Ainda dependo de um despertador para me acordar. 

Dizer não para a disciplina é a nossa forma de reafirmar que ninguém nos manda. É a forma de cada um exercer a sua soberania particular. É a velha e boa teimosia de todos nós. 
Somos todos teimosos.  Teimosos camuflados pelos predicados. Para facilitar o entendimento, cada um chama do nome que acha mais bonito. Uns dizem que são "de opinião", outros preferem dizer que são obstinados, resistentes, persistentes, decididos, resolvidos e ainda há os que dizem que são determinados. Mas somos mesmo teimosos.

O problema é que ao crescer, travamos uma eterna briga entre o eu e o eu mesmo que existe em nós. E é esta briga que faz de nós pessoas teimosas, resistentes às mudanças, resistentes ao que é saudável, resistentes ao que é necessário e muitas vezes, resistentes à felicidade. Brigamos tanto para que tudo seja feito do nosso jeito, que às vezes, brigamos para sermos infelizes. Brigamos para fazer do nosso jeito mesmo quando sabemos que não é o jeito certo.

Quando jovens, brigamos com o tempo, brigamos porque queremos tudo e tudo de uma só vez. Brigamos com nossa ânsia em querer que o tempo passe mais depressa. Juventude e disciplina não encontram um denominador comum. Queremos que o mundo fale a nossa língua, mas não falamos a língua de ninguém. 
Depois que a juventude passa, a briga continua. O inimigo não é mais o tempo, nem a ânsia.  Não queremos tudo. Aliás, queremos cada vez menos. Queremos menos regras, menos complicação, menos gente, menos coisas. Menos ordens principalmente. E temos que brigar por tudo isso. Maturidade e disciplina continuam sem chegar a um denominador comum. 

Pagamos caro por não cumprir os acordos que fizemos conosco. A saúde exige disciplina, o trabalho exige disciplina, a evolução exige disciplina e não queremos nada disso. Queremos não cumprir ordens. Queremos fazer nossas listas e cumprir quando bem entendermos. Queremos ser livres. Dizemos por aí que queremos ser livres como os passarinhos. Será mesmo?


Leila Rodrigues
 
Publicado no Jornal Agora Divinópolis em 27/11/2012
Foto do blog Recanto dos Pássaros: http://belos-passaros.blogspot.com.br

 

26 comentários:

  1. Uma boa reflexão com muitos questionamentos... Como não somos "passarinhos"... permitamos, pelo menos, darmos "asas" à nossa imaginação libertária!
    Bj. Célia.

    ResponderExcluir
  2. Maravilha,Leila! Sabes, hoje à tarde aqui, numa praça vi uma árvore com galhos sem folhas e em cada ramo, um passarinho. Parecia essa imagem acima! Lindo! E eles tem liberdade, mas tenho certeza, pelo que podemos ver de seus comportamentos, cada um tem responsabilidade por algo. O pai busca palhas, materiais para os ninhos e assim por diante.


    Na nossa vida, não podemos apenas desejar ser LIVRES ,voar, sem pensar ,,, Precisamos voar, mas saber onde e quando parar.


    Adorei te ler! Obrigado pelos carinhos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  3. Magnífico, Leila!

    Fiquei aqui pensando na tal teimosia, que nos leva pelos piores caminhos, mas não podemos dar o braço a torcer, não é? Afinal, somos livres como os pássaros, fazemos o que queremos... rsrsrs Você acabou com essa teoria de ser passarinho, e eu amei! Realmente, que bom se assim fôssemos, conscientes de nossas responsabilidades, não apenas com nosso trabalho, mas com nossa saúde, nossa vida espiritual, nossa felicidade!

    Muito bom ter ler, sempre! Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Minha querida

    Um texto muito verdadeiro, a vida é realmente uma luta constante...mas como eu queria ser livre como os passarinhos.
    Lindo sempre ler-te e principalmente pensar no que escreves.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  5. Um texto pleno de sabedoria.
    Um beijo em azul
    BShell

    ResponderExcluir
  6. A natureza está nos mostrando e nem assim aprendemos.Bela mensagem em seu texto.Parabéns.

    ResponderExcluir

  7. Olá Leila,

    Parabéns pela linda e reflexiva crônica.
    Creio que o nosso orgulho não nos permite dobrar à disciplina, tão indispensável em todos as áreas de nossas vidas, seja ela no trabalho, na saúde ou na atenção para com os cuidados da alma. Até para a liberdade a disciplina se impõe.
    Chico Xavier muito nos exemplificou acerca da disciplina.
    Sublime o foco dos pássaros. Também estou longe de agir como um deles.

    Ótimo domingo.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Eiii Leila! Fiquei super feliz com seu reaparecimento e palavras, amigas e carinhosas, deitadas lá no divã...obriagada! Um 2013 "disciplinado" com muiiita saúde, alegrias no varejo e amor no atacado!
    Beijuuss, estalando de novos, n.a.

    ResponderExcluir
  9. Eu não quero ser passarinho. A rotina me enlouquece...

    :-)

    ResponderExcluir
  10. Amigo(a) leitor(a) visite o link abaixo e conheça o e-book do concurso haicais de marte, o qual tive a felicidade de vencer com meu haikai “Arrozal” na categoria clássico. Leia o e-book e deixe seu comentário, ele é muito importante. Desde já agradeço.

    http://haicaienaomachuca.blogspot.com.br/2013/01/haicais-abduzidos.html

    ResponderExcluir
  11. Foi uma boa reflexão. Gostei. Beijo

    ResponderExcluir
  12. A liberdade também vem acompanhada de deveres e rotinas (rss). Para os pássaros, nada exige, pois são naturalmente disciplinados. Nós, seres humanos, nos acomodamos com facilidade. E desculpas não nos faltam para justificar a ausência de atitudes. Muito boa e reflexiva sua crônica! bjs.

    ResponderExcluir
  13. Admiro a disciplina, mas sou franca em dizer que não sou uma pessoa disciplinada, embora em seja firme nas decisões que tomo. Odeio listas, imposições, convenções, de praxe.
    Sofremos sim com isso, pois tudo nessa vida exige se não disciplina ao menos determinação. E eu PRECISO caminhar no parque por uma questão de saúde, mas não vou o dia que o sol sai mais arregalado, ou quando está chuviscando, ou quando está me doendo a unha que a manicure tirou "um bife"... Fiquei envergonhada diante dos pássaros-preto.
    Uma crônica que vale uma bela reflexão.
    bjks doces e uma semana maravilhosa.

    ResponderExcluir
  14. Olá Leila.

    O grande problema é que queremos ter sempre razão, e fazer de nossa pretensa razão, a razão de todos. E assim vamos esquecendo de tentar ser feliz, aprender com os passarinhos a cantar e encantar a poesia da vida.

    Um abração e uma boa semana.

    ResponderExcluir

  15. Olá Leila, e que tudo permaneça bem contigo!

    Passando para agradecer pela companhia no período passado, e já contando que continuemos a compartilhar esta amizade com a mesma intensidade neste novo período que se iniciou,

    Penso que tudo que nós humanos fazemos desregrado sempre nos trará sérios prejuízos. Assim como não podemos viver feitos autômatos, e sendo assim devemos sempre procurar viver do melhor modo que não prejudique nada ou ninguém, sim é difícil, mas, não impossível!
    Assim agradeço por tuas generosas visitas e desejo que tenha em teu viver sempre esta felicidade intensa, grande abraço feliz novo ano, e, até mais!

    ResponderExcluir
  16. Olha o Sotnas por aqui. Ele também é nativo de Santos como eu.
    Belíssimo texto! Eu e Quintana também falamos de pássaros como você.

    ResponderExcluir
  17. Bom dia minha amiga fidalga!!!!
    Neste novo ano que está a começar estou aqui para continuar a ler as tuas belas escritas. Quero te dizer que foi para mim um grande gosto ter convivido contigo durante o ano que passou e tenho a certeza que este convívio continuará cimentando assim esta amizade que nasceu através de palavras...Te amo e sabes disso ...
    bjsssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  18. Acrescento:" Liberdade palavra mágica é que aspiramos nem mais nem menos ser o que somos até o fim."
    Amei teu texto.Bjs no coração Eloah

    ResponderExcluir
  19. Bonito seu blog, que os passarinhos possam continuar alegrando suas manhãs.

    Bj

    ResponderExcluir
  20. Depois de ler este seu magnifico trecho, fico com mais certeza sobre o que nos move.
    De verdade, muitos de nós, não sabemos mesmo o que queremos!
    Depois, vamos deixando desculpas para tudo.

    ResponderExcluir
  21. Leila meu anjo adorei teu texto, sabe esta tal teimosia no fundo movida pelo orgulho, acaba nos colocando em enrascadas, como também faz com que magoemos pessoas que nos são caras, não é nada boa não, agora estes pássaros toda manhã é uma benção Divina, lindos, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  22. Faça
    chuva
    faça

    sol
    eles
    sempre

    vem
    para
    cantar

    e
    dizer
    que

    ser
    livre
    é ser

    FELIZ

    Leila. Que os pássaros nunca deixem de trazer só alegria para você neste novo ano.

    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Leila,
    Um belissimo texto, que nos questiona sobre realidades tantas vezes ocultas...

    Beijos,
    AL

    ResponderExcluir
  24. Leila, lindona!
    Tudo bem? Como está o início do ano?

    Tenho postado com menos frequência é quando consigo fazer as visitas também. Digo isso, porque penso que as coisas que exigem metas na nossa vida, em especial as questões profissionais, requerem disciplina, aplicação.
    Quanto as do coração, a liberdade se faz não em resultados, mas em amar e ser amado.

    Beijos e parabéns pelo belo texto!

    ResponderExcluir
  25. Leilinha,

    Tudo bem? Voltando aos poucos. Sinto-me como o seu lindo texto, confrontando a liberdade e questionando a vida sobre a direção do voo.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  26. Leilinha,

    Tudo bem? Voltando aos poucos. Sinto-me como o seu lindo texto, confrontando a liberdade e questionando a vida sobre a direção do voo.

    Beijos.

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço