segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Amores distantes


Demorei tanto para chegar e agora, que aqui estou, a impressão que tenho, é que sempre estive aqui. Você me é tão familiar que fica difícil explicar. Parece que eu já ouvi seus hiatos, já sei o tempo das suas falas, o tom da sua voz.
Fiquei à vontade antes mesmo de você puxar a cadeira.
E olha que eu ainda não sei quase nada de você e nem você de mim. Mal sei seu sobrenome e você nem sabe onde eu nasci. Ainda nem te contei como foi o parto do meu filho, nem você me disse onde passou suas últimas férias. Mas você sabe me fazer sorrir e eu sei te contar casos que nem para mim mesma eu contei um dia.
Não precisa me levar a lugar nenhum, eu já me sinto, aqui, no melhor lugar. Não se apresse em misturar nossos mundos porque eles já são próximos por natureza. Gostamos das mesmas cores, respiramos os mesmos ares ainda que estejamos a milhares de distância. A força infinita da natureza nos aproximou e ela mesma vai tratar de entrelaçar nossas mãos.
Em meio a milhões de cliques, num deles estava você. Nesse mundo novo, onde tudo é tão instantâneo, tão efêmero, tão moderno, eu não esperava que o sentimento, esse velho avassalador, vencesse. Mas ele venceu. Venceu as barreiras do teclado, venceu as fronteiras do monitor. Venceu o frio da distância e juntou pessoas, uniu casais, formou famílias...
Sim o amor é mesmo inexplicável! Pode surgir de onde menos se espera, de onde nada se espera. De onde não se procura, em momentos que nem sequer imaginamos, lá vem ele tomando conta de nossos espaços. Fazendo amigos, formando parceiros, tribos, grupos, casais... amores.
Mesmo com tantas “porcarias” no mundo virtual, devagarinho fui encontrando as minhas rosas. Pessoas que como eu, tinham propósitos melhores e mais dignos. Pessoas capazes de respeitar o outro e principalmente  a privacidade do outro sem perder o calor de uma grande amizade. 
Ombros que eu nunca vi, colos que eu jamais dormi, choram comigo minhas dores e vibram comigo as minhas alegrias, a milhas de distância. Alguém poderá dizer que este sentimento é menos nobre que qualquer outro ?
Vindos de todos os lugares, de todas as tribos, as pessoas se descobrem próximas, parecidas, unidas, pares. E como um toque de magia, uma cumplicidade inexplicável toma conta de nós. Neste campo imenso de girassol, vivemos a mais pura magia do encontro. Simples como um clique.


Leila Rodrigues

Publicado no Jornal Agora Divinópolis em 11/01/2016 e no JC Arcos em 16/01/2016
Imagens da Internet




Nunca vivi um caso de amor virtual, mas conheço muitas pessoas que sim. Alguns se deram muito mal e outros se deram muito bem. Não sou eu que vou julgar a escolha de cada um. Mas tenho grandes amizades construídas virtualmente. Alguns eu já conheci pessoalmente, outros ainda pretendo conhecer um dia. Não falarei nomes de todos para não correr o risco de deixar alguém de fora, mas foram muitos amigos que fiz no blog e nas redes sociais. Amigos de verdade, que passam para deixar um abraço, que perguntam quando dou uma sumida ou quando posto alguma notícia não muito boa. Não classifico essas pessoas como amigos virtuais, para mim são todos amigos reais, pessoas que eu admiro, respeito e quero muito bem!
No mês passado tive o prazer de conhecer pessoalmente a amiga Ana Cecilia Romeu. Ana Cecília Romeu é publicitária e escritora. Ela acaba de lançar o seu segundo livro, um trabalho infantil belíssimo que vale a pena conhecer que é "Janela da Poesia". 
Aqui uma amostra do seu belíssimo trabalho, em uma crônica encantadora: http://www.grupogaz.com.br/gazetadosul/noticia/463536-da_calmaria_a_tempestade.html
Eu e Cissa nos conhecemos através de outra amiga querida que eu também tive o prazer de conhecer pessoalmente que é a Ma Ferreira, ceramista de SP e uma pessoa muito querida. 
Cissa é tudo aquilo que eu imaginava e muito mais. Inteligente, simpática e divertida, tem um sorriso lindo e uma prosa boa que só. A viagem foi curta e em cima da hora, não deu para conhecer outros amigos que eu gostaria e que também moram em POA. Prometi voltar para demorar um pouco mais e aí sim, abraçar todos os amigos do Sul.

Grande abraço

Leila Rodrigues


7 comentários:

  1. Leila, que texto mais lindo e verdadeiro!
    Estava pensando agora (inclusive fiz uma postagem há minutos atrás, no Facebook) nesse universo inicialmente virtual, mas que se estende ao real confundindo completa e definitivamente as fronteiras. Como separar amizades virtuais e reais se elas se tornam únicas e singulares com o passar do tempo? Sinto exatamente isso em relação aos amigos da blogosfera, por exemplo, que não cobram meus sumiços, mas sentem minha falta em palavras e verdadeiramente se preocupam comigo... Vivi isso nesta semana, quando após 9 meses, voltei ao blog!
    Mas... você andou aqui pelo sul, menina das Palavras!!! Que linda a foto!!! Trate de retornar, hein, para um abraço que eu também quero te dar pessoalmente... afinal, temos Divinópolis em comum, e isso não acontece todo dia!!! rsrsrs

    Beijão, com saudades. Muito bom estar aqui novamente, vc é maravilhosa!

    ResponderExcluir
  2. Leila, minha amiga!
    Você é de uma gentileza! Obrigada por tudo, pelo carinho, por nosso encontro, por você ser uma pessoa que me acrescenta tanto e tanto... Primeiramente, no meio virtual; e, sim, isso é amizade e é possível que uma amizade se construa por palavras para além da presença física. Adorei lhe conhecer pessoalmente, me senti bem e feliz. Você é inteligente, interessante, uma pessoa inesquecível!

    Grande beijo, e, novamente, obrigada por tudo!

    PS.: Vou divulgar seu texto no faceb. e no Google.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  3. Um texto gostoso de ler, bem escrito e de fundamentos reais. No campo virtual já se percebe afinidades, já se recebe carinho, já se recebe conforto. Já surge o riso e até a cumplicidade. Um passo a mais, quando surge a oportunidade, nos mostra que não nos equivocamos e que esses dois mundos muito acrescentam. Bjs.

    ResponderExcluir
  4. O seu texto é magnifico.
    Quase poético!

    ResponderExcluir
  5. VIVA O CAFÉ "PERFUME DE LIBERDADE"



    Seja "Robusta" ou "Arábico"

    Do Brasil ou de Timor.

    Seja forte ou aromático,

    quando é feito com carinho,

    tem o aroma da FLOR,

    no sentido figurado.

    No presente e no passado,

    Sabemos que é verdade,

    que é à volta do CAFÉ

    Que nasce tanta amizade.

    Sendo assim já faz sentido,

    O convite que te faço ...

    VEM TOMAR CAFÉ COMIGO !!!!
    E porque falamos de CAFÉ ::Cá vai.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quiser.
Grande abraço