domingo, 12 de julho de 2015

Bem-aventurados




Não entenda como atrevimento de minha parte. Não tenho a pretensão de desprestigiar as intocáveis palavras da sagrada escritura. Vivemos um momento de valores distorcidos e esquecidos. O que é certo ou errado depende agora de ponto de vista. Carentes de referências, seguimos às cegas. Onde andam os mestres, os sábios, os que deveriam ser referência para todos nós? Quem são os bem-aventurados do século XXI?
Bem-aventurados os que se aventuram! Os que não suportam o miserável lugar de expectadores e correm o risco de viver. Eles herdam felizes a intensidade de viver e tornam o mundo mais saboroso. Não importa quanto tempo eles vivam, este tempo valerá por uma eternidade.
Bem-aventurados os que nada sabem, os ingênuos de verdade! Os puros e nada ignorantes. Eles são providos de asas e conseguem voar exatamente por acreditarem que voar é possível. Que ninguém lhes roube a alegria de crer no impossível. São eles, esses tolos de hoje, que herdarão todas as possibilidades. 
Bem-aventurados os dispostos. Os que levantam cedo, os disciplinados, os que fazem de verdade! Só por eles temos algum resultado. São eles que concretizam os sonhos e herdarão para sempre o direito de continuarem sonhando. 
Bem-aventurados os interessados. Aqueles que olham em nossos olhos e se dispõem a ouvir de verdade a nossa história. Ouvir e se interessar pelo próximo é hoje a maior virtude do ser humano. Eles herdarão a atenção dos deuses. 
Bem-aventurados os que deram o primeiro passo. Os que pularam no escuro, os que foram, ainda que sozinhos. Por eles nossas tímida intenções encontraram forças  para irmos também  e eles herdarão para sempre a luz que ilumina seus caminhos.
Bem-aventurados os que cantam. Os que cantam, dançam, saltam e se mexem. Por nos tirarem da irritante e confortável preguiça de viver e nos mostrarem o movimento do mundo dentro de nós. Eles herdarão os sons, o ar e as cachoeiras do universo.
Bem-aventurados os mestres. Aqueles que andam entre nós disfarçados de pessoas comuns , mas que carregam em si o grande segredo da vida, a simplicidade. Esses são os verdadeiros mestres e é com eles que aprendemos as maiores e mais importantes lições. Eles já herdaram a sabedoria e só estão entre nós para que possamos evoluir também! 
E por fim, bem-aventurados todos aqueles que sabem fazer silêncio e o fazem toda vez que o pensamento quiser ferir alguém. Esses também já herdaram a evolução humana. Quiçá um dia a gente chegue lá! 


Leila Rodrigues

Imagem da internet
Divulgado no Jornal Agora Divinópolis em 07/07/2015


Um comentário:

  1. Bem-aventurada sou eu, por ter a oportunidade de ler, "uma oração da alma para a alma, que vive e atua no século XXI!
    Texto espetacular que retira-nos da nossa zona de conforto.
    Parabéns, leila!
    Bjs.

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço