sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Sempre em dezembro




Já foi moda fumar. Já foi moda ser gordo. E tem gente que acha bonito ser anoréxico. Pergunto-me como é que essa insanidade coletiva se prolifera? Será que um indivíduo começa e os outros, por falta de originalidade, copiam? Uma incógnita que muitos autores procuram responder em seus livros de autoajuda.
Porém, trazendo aos nossos dias de hoje, a moda agora é não ter tempo. Essa é a insanidade coletiva do momento. É bonito ser uma pessoa atarefada. Pelo menos passa a impressão de empenho, de produtividade. O que não é nem um pouco verdade, mas é o que modismo ditou e todos responderam "Amém".
E quando chega dezembro então, correr vira uma obrigação social. Se você encontrar alguém que não esteja atarefado, com a agenda cheia ou louco para o ano acabar, pode abraçar porque este é sujeito anormal. Provavelmente esta pessoa é alguém mais evoluído que a maioria, alguém que já transcendeu às agruras do século XXI e sabe viver sem se deixar levar pelo consenso coletivo.
Dezembro é realmente atípico, isto nós não vamos conseguir mudar. São confraternizações, encerramentos, despedidas, compras, bebidas, comidas, presentes. Só de falar já ficamos cansados. Tudo que não foi resolvido, discutido, controlado ou feito durante o ano, procura-se fazer dentro do mês de dezembro. Desde os afazeres mais simples até a caridade. Tivemos 11 meses para fazer e não o fizemos. E no final do ano temos o descaramento  de dizer que vamos fazer tudo em mês.
Dizem que se soubéssemos o dia de morrer, viveríamos intensamente até o nosso penúltimo dia. Fim de ano parece com isso. É como se, sabendo que ano vai acabar, embarcamos todos numa corrida louca para dar a volta em nossos mundos em 30 dias. Parece uma gincana da vida real. Todos correndo para entregar no dia 31, o prêmio de execução do ano para si mesmo. Alguns até conseguem, embora deixem no caminho mortos, feridos e descompensados. Mas a grande maioria morre na praia e acaba jurando que, no próximo ano tudo vai ser diferente.
Talvez sejam essas nossas juras platônicas de conversão que fazem de nós eternos mentirosos. Se pararmos de prometer que vamos melhorar, quem sabe não iniciamos uma melhora sem compromisso? Basta sairmos da onipotência de acharmos que temos que dar conta de tudo, que somos os melhores, que ninguém é capaz de fazer melhor que nós. Pode ser um pequeno começo para uma grande mudança. Só é preciso tentar.

Leila Rodrigues
Imagem da internet


Olá pessoal,

Não resisti à vontade de falar com vocês. 
Obrigada a todos pelo carinho, pelas visitas, pelos comentários, por esses minutos que vocês dedicam ao Palavras. A vontade mesmo é de conhecer todos que por aqui passam. Deixo o meu sincero agradecimento e o meu abraço a todos vocês. De coração, obrigada!
Escolhi esta foto, porque, mesmo não tendo nada a ver com o Natal, o simples fato de ter as cores do Natal, já nos remete a ele. Incrível isso!
Bjs a todos! Paz e bem!

Leila Rodrigues
 

14 comentários:

  1. Oi, Leila! Muito bom ler seus textos! São muito coerentes... Talvez minha maturidade (68) me ensinou a viver e saborear pausadamente cada momento, pois os mesmos são valiosíssimos! Hoje, não corro mais. Desfruto tudo o que tenho direito por construção própria! Grande abraço e festas felizes é o que lhe desejo.
    Célia.

    ResponderExcluir
  2. Amiga Leila, já fiz parte deste grupo especialíssimo que adora estar na crista da onda - como se dizia no meu tempo de jovem, que faz tempo, muito tempo -, ou seja, seguir a moda "ipsis verbis". Fumei durante 34 anos, por que quando pus o cigarro na boca, era moda fumar. O gosto do tabaco era horrível, mas tava na moda... Depois quis parar , mas estava viciado, então, batalhei muito para conseguir largar o maldito cigarro. Com a bebida foi a mesma coisa... Felizmente, já não fumo há 10 anos, também não bebo há muito tempo e dezembro para mim é um mês normal, sem estress, sem correria, sem vertigens. Tenho mais de sessenta anos, talvez por isso, hoje não corro mais, apesar de trabalhar de 10 a 13 horas por dia, de segunda a sexta e umas 8 horas aos sábados e domingos - faça minha carga horaria de 44 horas semanais no escritório da empresa para qual trabalho desde 1996, depois, após as 18 horas vou para minha segunda atividade. Graças a Deus não sinto o cansaço que as pessoas falam que sentem. Mas deixo claro que gosto das atividades que executo.
    Um abração. Tenhas um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  3. Não posso concordar mais contigo...muitas promessas, muitas juras ao findar do ano. Mas depois, como que buscamos novos motivos para continuar a rotina anterior. Enfim...

    Beijinho

    ResponderExcluir
  4. disse tudo!! infelizmente a maioria de nós fazemos isso todos os anos e o pior é que tornou-se quase que um ritual. A correria do dia a dia virou moda, virou sinônimo de sucesso, de competência. Precisamos repensar esses conceitos, repensar o verdadeiro sentido de ser útil. Parar de seguir a multidão e simplesmente respirar mais devagar. ADOREI O BLOG!! BJS
    http://confetesaovento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Leila querida!
    Lindo texto, você colocou as palavras de uma forma bastante interessante.

    Uma simples prova de que dezembro é um mês atípico em relação aos outros, é o fato de eu estar aqui comentando às 3h da madrugada :) Sim, tenho insônia, mas se fosse em outro mês teria conseguido vir antes.
    É uma espécie de dança das coisas e do tanto a fazer e cumprir.

    Um Feliz Natal para ti e tua família, com muita união! E um novo ano especial de bom!

    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  6. É amiga, muitos esquecem de viver o dia a dia, mas quando chega dezembro querem tudo viver em um só dia.... Uma postagem que disse tudo. Beijos saudosos no coração.

    ResponderExcluir
  7. Leila
    Eua chei o conto lindo e bem coerente com a epoca de Ntal. E é tudo verdade.
    Tambem fiquei satisfeita com a sua demonstraçao de amizade.
    O espirito do Natal como nascimento de Jesus é um tempo de agradecer e de pedir perdao.
    Com muito carinho sua ainda amiga Monica

    ResponderExcluir
  8. Olá, Leila. Quntas verdades nesse texto! Adorei ler. Obrigada pelo carinho e partilha! Adorei ter vc por lá. Um feliz e abençoado Natal de paz e prosperidade!! bjosssssssss.

    ResponderExcluir
  9. Olá prezada Leila, e que tudo esteja bem!

    Eu penso que talvez seja pela falta de união. Muitas pessoas pensam que conseguem e devem viver e fazer tudo que desejam somente elas, cada qual ao seu modo e conveniência, o que é um terrível engano.
    Somos criados para compartilhar, e a melhor maneira de compartilhar e propagar a união, pois ninguém em sua triste e única solidão consegue viver, pense. Em algum momento alguém fez algo, uma atitude mínima, porém esta te deu condição de realizar algo que sempre tentou e ainda não havia conseguido, é assim viver, e assim sempre será. Não foi por acaso que o criador nos pediu para crescermos e multiplicarmos, e por consequência nos unirmos!
    E assim por cá passo, ainda que por esparsas vezes, mas creio que o importante é vir com a mesma e intensa amizade, pois somente assim sentimos prazer neste nosso viver, com belas atitudes de amigos e intensas amizades!

    E assim desejo que seja sempre tão intenso e feliz o teu viver, grato por tuas gentis visitas e comentários, um grande abraço e, até mais!

    ResponderExcluir
  10. Passei para desejar um bom e feliz natal

    ResponderExcluir
  11. Belo teu texto querida.Desejo- te que o natal e o novo ano te presenteie com caminhos perfeitos, pedaços de céu, feixes de luz interior, traços de emoção e como prelúdio a magia da fé e da esperança para fazer morada na tua alma e trazer felicidade e eternas aspirações. Forte abraço Eloah

    ResponderExcluir

  12. Olá Leila,

    Excelente a sua crônica. É bem assim mesmo. Eu, infelizmente, ainda estou no grupo daqueles que estão loucos para para o ano acabar. Parece que em dezembro o tempo diminui. É realmente um mês cansativo, pois ainda traz o cansaço acumulado no decorrer do ano.
    Enfim, não há como fugir aos compromisso 'extras' que o mês natalino nos traz.

    Desejo a você um lindo Natal e um 2014 com mais sucesso e muitos acontecimentos felizes.

    Ótimas festas!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  13. Olá, Leila.

    Renovação é a senha, jogar fora as "tralhas comportamentais" e buscar verdadeiramente anos novos.

    Passando para desejar um natal repleto de luminosidades e um renovador ano novo, transbordante de felicidade, saúde, paz, prosperidade e tudo mais de bom. Para você, seus parentes e amigos.

    Um abração e boas festas.

    ResponderExcluir
  14. Minha querida Leila

    Que neste Natal a magia da criança que fomos esteja presente nos nossos corações...que não seja apenas uma comemoração de um dia, mas que se prolonguem por todo o ano...unindo almas com o carinho de uma palavra...o calor de um abraço...a doçura de um sorriso.

    FELIZ NATAL junto de todos os que amas

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço