segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Mini conto




Sorriu desajeitadamente e baixou os olhos atrás dos grandes óculos. Mal pude ver seus olhos azuis. A sua timidez provocava-me um calor sem fim. Insisti mais uma vez que aceitasse o meu presente.
- É apenas um livro, não pode lhe fazer mal algum. Insisto que aceite. 
- Deixou de ser apenas um livro depois que veio de você.


Leila Rodrigues

Foto:  Vinícius Costa
Modelo: Gustavo Rodrigues

10 comentários:

  1. Lindo demais e um livro nunca é apenas um livro.Pode crescer, fazer mudar...beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Adorei !
    Há um certo encanto na magia do pensamento

    ResponderExcluir
  3. Pois é, Leila, um livro quase nunca é apenas um livro.
    Um abração. Tenhas uma boa tarde.

    ResponderExcluir
  4. que delicado..
    simples..
    amei..
    beijos]

    ResponderExcluir
  5. O gesto. A atitude. Isso é de um valor inestimável! Ficará gravado para sempre.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Um pequeno-grande conto, como o Menino Jesus...Que doçura!
    Beijos (depois de longa ausência),
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  7. Lindo mini-conto! Sempre um prazer vir aqui... e um livro jamais será apenas um livro!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Muito bom, Leila.
    Um abraço. Tenhas uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  9. bem profundo..gostei bastante!!
    abraços meus

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço