domingo, 8 de abril de 2012

Páscoa na cidade grande



Quando chega o outono, sinto que São Paulo encontra o seu verdadeiro tempo.  São Paulo, no fundo, insiste em ter um outono o ano inteiro. O ar fica fresco, convidativo ao aconchego. As manhãs têm jeito de Europa e a confusão das pessoas indo e vindo, me faz lembrar que tudo vai passar.
Ninguém ali está preocupado com o meu cabelo roxo, se sou homem ou mulher, ou os dois ou nenhum dos dois. Ninguém quer saber se eu dormi esta noite nem em qual voo vou embarcar. Todos ali só querem viver. Viver as suas vidas, amar os seus amores, criar os seus filhos, os seus cachorros, chegar em casa. É cada um por si literalmente! Até o rio Tietê é por si. Fica ali, quase parado, recebendo silenciosamente nossos restos.
Alguns dizem que isto é egoísmo, que ninguém se preocupa com ninguém. Não. Isso é adequação. Ou eu me preocupo comigo, com os meus; ou absolutamente ninguém se preocupará depois de mim. Depois de me preocupar e de me ocupar comigo e com os meus, se sobrar tempo, prometo me ocupar com o mundo à minha volta. Prometo conhecer um pouco mais esta cidade, prometo cumprimentar o meu vizinho, prometo ir à pelada no sábado. Prometo...
Mas antes, me deixe aqui. Deixe-me ser eu mesmo. Deixe-me viver as minhas escolhas, me deixe ocupar as minhas horas com o que fizer parte do meu universo. Deixe-me ter a minha crença ou nenhuma crença se eu assim preferir.  Deixe-me cantar a música que eu escolhi. Deixe-me abrir a janela de madrugada para ver a cidade que não sabe dormir.
E eu te deixarei viver comigo, sem sequer cruzarmos a mesma esquina, sem sequer pisarmos o mesmo chão. Você aí e eu aqui, juntos sem nunca nos vermos. Presos na mesma geografia, porém libertos para sermos quem quisermos ser.
Amanhã é domingo, eu escolhi dormir. Ele escolheu orar, ela escolheu divertir, aquele outro foi viajar. Ninguém prestou contas para ninguém, ninguém pagou a conta de ninguém. Tudo que esta cidade ou qualquer outra precisa é que cada um respeite a escolha do outro e que todos se lembrem de que a nossa liberdade termina onde começa a do próximo.
O respeito hoje é tão importante quanto o amor. Quiçá conseguimos amar a nós mesmos, quem dirá amar ao próximo como a nós mesmos? É pedir demais para pobres mortais que somos. Que tal começarmos respeitando o próximo? Não será um bom começo? Basta que, o que existe de bom e humano em mim, silenciosamente respeite o que existe de bom e humano em você. E estaremos assim fazendo renascer o respeito mútuo.
E quem sabe então, podemos fazer uma Páscoa, na cidade de todas as religiões, de todas as crenças, de todas as tribos, de todas as escolhas.

Leila Rodrigues
Imagem:www.mundodastribos.com.br

Querido leitor,

Para renascer qualquer coisa, é preciso, primeiramente,  aceitar a perda ou a mudança a que se propõe. Independente da sua crença, desejo a você, força e coragem, para renaser naquilo que te for necessário. E que assim, consigamos todos, fazer uma páscoa dentro de nós!

Um grande abraço a todos e boa páscoa!

Leila

28 comentários:

  1. Leila, lindas, sábias e verdadeiras palavras, não só isso: tem o sentido de tudo!
    Acredito que quando chegar o dia em que todos nós percebamos que o que nos falta às vezes sobra no outro, ou o contrário, entenderemos que somo complementos, uns dos outros!
    um abraço pascal mesclado de todas as tribos cores e sabores do meu "ovo de páscoa imaginário"!

    ResponderExcluir
  2. Leila,

    É sempre um prazer ler as tuas palavras, sempre tão sensatas e esclarecidas!
    Sim! Precisamos de força e coragem, para fazer renascer dentro de nós a esperança, que o passar do tempo foi enfraquecendo. É muito oportuno que tenhas recordando isso em tempo de Páscoa, que é um tempo de vida e ressurreição!
    Para ti... deixo o desejo de uma Páscoa muito Feliz!!!

    Beijos,
    AL

    ResponderExcluir
  3. Esperanças renovadas e regadas a muito respeito e consciência. Isso é uma boa receita.
    Um grande bj querida amiga

    ResponderExcluir
  4. Seu texto é muito oportuno. Esse respeito pelos demais, seja em cidades grandes, seja em pequenos municípios, é fundamental. Somos diferentes, mas podemos viver em harmonia.
    Que seu dia seja iluminado!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Querida Leila....

    Me encanto sempre quando te leio.
    Deixe-me ser o que sou, Respeite-me.
    indeendente de oce me aceitar ou nao, eu te respeito.
    Foi assim que recebi a mensagem do teu texto.
    E que tenhamos forca de dar o primeiro passo para
    o recomeco que se faz necessario.
    Cada um sabe o seu,,,,

    Um grande beijo minha querida amiga,

    ResponderExcluir
  6. um texto precioso amiga Leila... espero que esteja passando um domingo pascalino com muitos sorrisos junto aos teus... Um doce beijo no coração!

    ResponderExcluir
  7. Real. Intenso. Verdadeiro. Sem pieguices da formalidade da solidariedade ilusória. Dos sonhos. Das doações. Realista. Emblemático. Um texto gigante. De pessoa imensa. Para pessoas autênticas. Usufruo do seu contexto e nele me aconchego nesta e em tantas outras páscoas!
    Bj. Célia.

    ResponderExcluir
  8. Leila, querida!
    Nossa!
    Que mensagem, sensível e inteligente como você!

    Ainda em tempo, te desejo uma ótima Páscoa, muito amor e paz para toda tua família e para ti em especial :)

    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  9. Exacto el respeto es la palabra clave entre todos. Que hayas pasado una gran semana de reflexión.
    Saludos
    David

    ResponderExcluir
  10. Leila querida!!!
    Escreves maravilhosamente!!! É uma delícia te ler!
    Os valores estão esquecidos, amiga! Ou invertidos! Pequenas coisas do dia a dia, coisas simples são esquecidas ou desrespeitadas.
    Ótima reflexão!!!
    Boa semana!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Leila querida! Que palavras lindas e profundas! Para uma grande reflexão... Obrigada pelo carinho! Ótimo início de semana! Bjo no coração!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá Leila!

    Esse seu texto, nos presenteia com uma boa dose de realidade. Respeito é a grande senha e parafraseando um velho axioma: “Fora do respeito não há salvação”. O resto é fantasia, ilusão de quem ainda não aprendeu a “fazer aos outros aquilo que queremos que façam conosco”.

    Um abração e uma boa semana.

    Antonio (Apon)

    ResponderExcluir
  13. Bom dia,Leila!!

    Lindo texto querida!!!
    Temos que fazer por nós...senão quem fará? Mas jamais esquecer de compartilhar.E do ensinamento:"Faça aos outros o que gostaria que fissezem por você!"
    Tem momento e tempo para tudo.
    Beijos!Boa semana!

    ResponderExcluir
  14. Leila,esse é o espírito paulistano!Liberto e que parece mesmo que veio ao mundo para se conhecer para depois amar o outro,mas há muita generosidade em seus corações tb!Linda msg!bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  15. Uma grande mensagem que passastes.
    Maravilhosa sua postagem.

    Desejo que sua páscoa tenha sido excelente.
    Uma ótima semana!
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  16. Linda mensagem de Páscoa, que fala em respeito às diferenças como um princípio para se alcançar o tão almejado amor ao próximo. De fato, esse é um excelente começo. Valiosa sua proposta para reflexão!

    Um beijo, com desejos de que esta Páscoa tenha sido de fato um momento de renascimento pra você e seus queridos, nos pontos que consideram mais importantes.

    ResponderExcluir
  17. Leila

    Que linda crônica com a mensagem de Páscoa.
    Também amo São Paulo e você escreveu
    lindamente e é realmente assim que a gente sente dentro dessa megalópoles, cada um por si e livre.
    Eu sempre digo que a Av.23 de Maio é o meu norte. De lá vou para a zona sul,norte,leste e oeste.Me vi caminhando pela Av.Paulista como sempre vou.
    Uma linda semana
    Beijos.

    ResponderExcluir
  18. A amizade é eternizada por nós mesmos,
    portanto para ser eterna só depende do querer que há dentro de cada um,
    pois não importa a distância,
    já que é impossível viver independente desses obstáculos que o destino coloca na vida de todos,
    assim nos separando. Uma boa amizade deve ser guardada no peito,
    lembrada com muito carinho, pois amigos são pessoas raras,
    pessoas que muitas das vezes contribuem para a nossa felicidade,
    para o nosso crescimento, para a nossa vida, até mesmo sem percebermos.
    E o que vale a pena é saber que são amigos muito importantes,
    mesmo estando ou não perto de nós com freqüência.
    E sua amizade é uma das coisas mais importante na minha vida.
    Ser sua amiga é uma benção Divina.
    um previlegio que Deus me deu
    que me ajuda a ser feliz e ver o Mundo mais bonito.
    Beijos meu eterno carinho,Evanir.
    Eu abençoo com minhas duas mãos nossa amizade
    e que Deus transforne num hino de Amor.
    È muito mais que um presente ler você.

    ResponderExcluir
  19. Se eu cair no chão em Sampa, ninguém vai notar, ou talvez perguntem: Foi bebida? Não! Coitadinho e seguir em frente. Saio de São Paulo e lá só volto de passagem para o aeroporto por que Santos ainda não tem.
    Muito bem escrito! Beijo

    ResponderExcluir
  20. Na cidade grande as pessoas se tornam meio concreto, meu cinza, como a moldura do quadro de suas vidas. Mas para quem tem consciência disso, tentar fazer diferente é essencial.

    Parabéns pela postagem.

    ResponderExcluir
  21. Olá, Leila. Adorei o texto! Sua maneira de escrever e ver a vida. Apesar de sermos diferentes, podemos viver em harmonia e respeito. Perfeito o texto amiga! Obrigada pela carinhosa visita e apoio. òtimos dias pra vc! Bjos no seu coração.

    ResponderExcluir
  22. Leila querida,
    Texto incrivelmente maravilhoso! Digo incrivelmente, porque também, aqui em Porto Alegre, está tudo ficando como São Paulo, com exceção do clima.
    É a vida na cidade grande ou, melhor, nas capitais.
    Estou com você quando diz que, cada um deve viver como quer, onde quer e quando quer. Deploro qualquer iniciativa de outra ordem, quando ameaçam meu modo de viver. Adorei quando você citou:"... vivo desta forma, pois não devo satisfações a ninguém, até porque ninguém paga as minhas contas..." (ou é mais ou menos assim que você escreveu).
    Muitas vezes, fico p. da cara, quando
    encontro alguma vizinha que pergunta por onde tenho andado, pois ela não tem me visto ultimamente.
    Eu penso, reflito e vejo o quanto as pessoas deixam de cuidar da própria vida, para se preocuparem com a vida dos outros.
    Mas, enfim, são coisas da vida.
    Um grande beijo, amiga.
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  23. Que texto lindo e tomara mesmo cheguemos a esse ponto em todas as grandes cidades...beijos,chica

    ResponderExcluir
  24. Leila,passando para reler seu texto e desejar uma ótima quinta pra vc!Bjs e está demorando pra chegar o livro!Me avise se nâo chegar!

    ResponderExcluir
  25. Leila,acabei de ver o comentario do Gustavo!Fiquei feliz que chegou e agradeço pela gentileza dele em me escrever!Bjs e meu carinho!

    ResponderExcluir
  26. Minha amiga fidalga!
    Seu porte na escrita ganha cada dia mais vida,eu te louvo pela menina criativa e inteligente que demonstras ser.
    E o coração que é de ouro!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Aplausos sempre prá ti minha querida!
    bjs

    ResponderExcluir
  27. .


    Estou tão feliz com a sua
    amizade que decidi seguir
    seu blog, e você, vai se-
    guir o meu?

    Obrigado,

    silvioafonso





    .

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço