sábado, 2 de abril de 2016

Lá vem ela


Lá vem ela descendo o morro, em cima do salto, começar tudo de novo. Lá vem ela causando discussões e interrogações por onde passa. Ela já chorou, já se descabelou e já armou o maior barraco. Depois dormiu e acordou pronta para começar tudo de novo. É! Ela vai começar do zero novamente. E ai de quem atravessar o seu caminho! Sim ela vai amar de novo, vai querer jogar tudo para o alto e vai chorar depois. Ninguém muda a natureza dos felinos, e ela é um deles. 
Lá vem ela com seus cabelos um dia curtos, no outro louros e no dia seguinte lisos como uma índia Guarani. É assim que ela aguenta as lutas. Ela se desfaz, se refaz e se satisfaz. As vezes acho que medo não existe no seu dicionário, depois descubro que ela vai com medo mesmo. Apenas enrola o medo no lenço colorido que envolve o seu pescoço e segue em frente.  Lá vem ela toda estilizada, com a bolsa que pegou da tia e transformou em nova. Ela tem esse poder. Transforma qualquer sapato em um numero que lhe sirva, transforma qualquer roupa em look e qualquer acessório em atração fatal. Ela é assim! Imprevisível. Única. 
Um dia um novo amor, no outro um novo emprego, uma nova casa, um novo amigo e o velho olhar esperto para tudo que a rodeia. Não pense que você a tem! Ela não é de ninguém! Ela não segue regras, nem as que ela mesma tenta impor. Ela não tem paradeiro nem destino certo. Ela é do mundo e eu sou alguém que vai passar a vida vendo-a perambular por aí.
Atrás da louca existe uma mulher séria e meiga. Alguém que a vida não poupou e que pagou caro pelas escolhas que fez. Alguém que escolheu viver sozinha, que escolheu seguir a sua própria cartilha com as referências que melhor lhe convieram.Se toda história tem o enredo certo, a dela certamente seria uma grande novela. Tudo seu é mais intenso, é mais bravo, mais forte, capaz de superar toda e qualquer expectativa. 
Ela tem pressa de ser feliz e escolheu tentar. Aquele coração cigano não vai se conformar tão cedo com uma vida comum. Ela vai sair por aí procurando a felicidade em algum canto de uma “have" lotada de gente. Um dia ela vai enxergar que a felicidade, esta que ela tanto bate a cabeça procurando, mora bem dentro do seu coração rebelde.
E eu continuarei aqui, na expectativa dos acontecimentos, amando-a e aprendendo com ela alguma coisa que nem ela sabe que me ensina. A vida é assim, um grande aprendizado!


Leila Rodrigues

Publicado no Jornal Agora Divinópolis e no JC Arcos.
Imagem da internet - Juliette Binoche vive Rebecca no filme Mil vezes boa noite (2013)

Olá pessoal,

depois de alguns dias fora aqui estou de volta com meus textos. Temos tido dias tensos e intensos ultimamente. E nesses dias tensos e intensos tenho visto muitas pessoas começando de novo. Muitos deles não por opção, mas porque a situação lhes impõe que recomecem. É preciso ir, ainda que nem se saiba para onde! E foi pensando nisso que escrevi o texto acima. A todos os que estão recomeçando alguma coisa que consigam renovar suas energias e descobrir em cada canto um novo encanto.

Grande abraço


Leila Rodrigues

6 comentários:

  1. Leila!
    O seu texto é a realidade de homens e mulheres/século XXI... A eterna busca, pois a cada despertar o sol aquece novas ilusões e a chuva faz brotar os sonhos em realidade. Tentar sempre! Eis a questão de sobrevivência humana.
    Parabenizo-a pelo olhar aos que não se entregam jamais!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Célia. Voce sempre atenciosa e carinhosa com o Palavras.

      Excluir
  2. Parabéns Leila!
    Adorei a crônica!
    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dra! Que bom vê-la aqui.
      Tive problemas com o blogger e só hoje pude agradecer.
      Seja bem-vinda ao Palavras.
      Muito obrigada pela visita! Espero que tenha gostado.
      Grande abraço

      Grande abraço

      Excluir
  3. Muito bonito e rico este texto com descrição que vamos criando uma personagem e ao mesmo a desconstruímos para recriar outra que é a mesma em situação e condição diferente. Superando as adversidades com todas as criatividades. São tantos os caminhos e possibilidades nesta vida, que exige ação e mais ações a todo instante. Somente assim pode superar e enfrentar os descaminhos.
    Recomeçar é uma ordem neste momento de caos e crise econômica principalmente.
    Muito bom o texto Leila.
    Meu abraço.

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço