domingo, 6 de março de 2016

A estratégia da mala


Quer fazer uma boa aula de estratégia? Observe a mala de uma mulher. Se toda mulher cuidasse das suas finanças com o mesmo critério que arruma uma mala, estariam todas ricas! 
A vaidade é uma fase. Toda mulher tem ou teve a sua. Algumas exageram, outras nem com o tempo se desapegam da necessidade de se apresentarem em “perfeito estado”. Mas o melhor é poder olhar para tudo isso e se divertir. Vamos à mala!
Se é verão, ela leva um casaco porque pode ser que o tempo mude de repente. Se é inverno ela leva uma camisetinha básica porque pode acontecer do sol esquentar muito. É roupa para todos os climas e todas as ocasiões. Fala para mim, isso é ou não é um exemplo de estratégia? E ainda nem chegamos nos acessórios. Sim, porque é aí, nos acessórios que se encontra o grande segredo feminino. Acessório é estratégia de guerra! Nos acessórios estão escondidos planos A, B, C, D e E. Secador, chapinha e ativador de cachos. Tudo para o mesmo cabelo! Creme para o rosto, creme para o corpo, sabonetes diferentes para cada parte do corpo e  maquiagem. Ah a maquiagem! Maquiagem hoje é um negócio meio mágico. Capaz de esconder manchas, espinhas, olheiras, ressacas e tristezas.  A maquiagem é um  “kit camuflagem” perfeito. Através dela a mulher pode entrar uma no banheiro e sair de lá outra completamente diferente. E se ela for das espertas em poucos minutos! Olha a estratégia aí de novo!
Mala na vida de mulher é algo tão importante que hoje antes de fazer a mala ela checa a previsão do tempo. E quanto mais instável tiver o tempo, mais feliz ela fica. É licença para levar tudo! Bota, rasteira, salto, chinelo, chapéu e lenço. E ela ainda compartilha a informação com as amigas.
Eu já tive a minha fase camuflagem e hoje confesso que ainda tenho meta para alcançar no quesito “reduzir bagagens”. Mas como viajo muito, a prática tem me ensinado que para dois dias fora de casa eu não preciso levar o meu guarda-roupa inteiro. Mas eu confesso que no início eu não pensava assim. 
Mas o grande segredo vem agora. Quer saber se aquela viagem que você fez com sua parceira foi boa? Se valeu a pena o investimento e se ela se divertiu de verdade? Verifique a mala na volta. Se ela não usou quase nada do que levou, se a chapinha sequer saiu do saquinho rosa e se o “Kit camuflagem” foi pouco usado… Parabéns! É sinal que ela  conseguiu praticar o desapego e caiu na farra! Diversão garantida ou sua mala de volta!

Leila Rodrigues

Publicado no Jornal Agora Divinópolis e no JC Arcos
Imagem da Internet




6 comentários:

  1. Olá Leila,

    Gostei demais da sua crônica.
    Confesso que ainda tenho dificuldade em reduzir bagagem, apesar de já ter pago por excesso por mais de uma vez. Sempre penso que vou precisar de tudo que estou levando e acabo utilizando apenas metade. Como diz o meu marido, na minha mala tem de tudo que se possa precisar-rsrs.
    Quando se viaja, o importante é mesmo curtir, sem se preocupar demais com a aparência.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita Vera Lúcia!

      Com o tempo, vamos aprendendo a diminuir nossos fardos!
      Grande abraço

      Leila

      Excluir
  2. Adorei, Leila! E as nossas malas sempre são um caso à parte,rs beijos, lindo e feliz nosso dia! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica querida... e ainda nem falamos nas "sem alça"srs.

      Bjs amiga querida

      Leila

      Excluir
  3. Oi, Leila, mala dá pano pra manga, amiga!!! A gente vai perdendo a capacidade de se horrorizar com tanta tralha, esse que é o perigo! rs
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante e assim se processa Leila. Tenho lido sobre esta arte das mulheres com as malas.
    Hoje meu especial abraço amiga para as grandes mulheres que sabem da vida e do mundo. Receba o meu.
    Uma semana linda amiga.
    Bju de paz.

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço