segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Simples assim


Sou fã da Cris Guerra. O que eu escrevi hoje é uma reflexão do que Cris apresentou no seu programa na Internet http://youtu.be/74sTsLhnk1k .  O tema foi  "As coisas me desorganizam", mas o que me chamou a atenção foi o que Cris disse sobre acúmulo e leveza. Aqui vai um comentário de uma fã.
Dizemos em alto e bom tom que queremos ser simples, que queremos ser leves e que queremos viver com menos. Queremos ser ecologicamente corretos, básicos e "naturais". Uma releitura do natureba de décadas passadas. Mas na prática, sítio sem Internet, namorado sem carro e quarto de hotel sem ar condicionado nem pensar! Então que simples é este que defendemos? Até onde suportamos o "natural" que pregamos?
Alguém fala que quer viajar comigo pra fazer um "mochilão" por aí, mas tem que levar a chapinha na mochila e também o óleo especial que ela passa no cabelo para tirar o frizz! Tudo na mochila de grife, claro!
Nosso mais novo feito é que conseguimos falsificar a leveza! Só não sei a quem estamos iludindo!  Enquanto 120 pares de sapato descansam no closet ou 78 garrafas de vinho dormem horizontalmente na adega, insistimos em dizer que somos simples e leves!
Acumulamos nossas gavetas de coisas e mais coisas, nossas vidas de pessoas e mais pessoas e consequentemente nossa mente de pensamentos para administrar tudo isso. E o que mais assusta é que este acúmulo não é resultado de uma paixão por determinado objeto. Acumulamos porque queremos ter mais, independente da necessidade ou do uso. A impressão que tenho é que acumulamos de medo de um dia perder. Só pode ser! E quando chega o Natal saímos por aí doando nossos pertences para diminuir nossas culpas! Nem sequer percebemos que para administrar este acúmulo gastamos tempo, energia e muito mais dinheiro.
É como um círculo vicioso. Compramos para satisfazer nossos desejos. Uma vez satisfeitos, nossos "brinquedos" não nos servem mais, então precisamos de outros brinquedos. Chega um momento em que o armário não cabe mais de tanto brinquedo e você não sabe mais como brincar.
Um pouco que não é pouco, um simples que não é simples e um natural completamente sofisticado. Assim estamos nós, equivocados e confusos. E Cris conseguiu resumir perfeitamente isso em uma frase: Queremos um hippie com Wi-Fi. Simples assim!

Leila Rodrigues


Cris Guerra é publicitária e escritora www.crisguerra.com.br
Publicado no Jornal Agora Divinópolis em 26/01/2016 e no JC Arcos em 30/01/2016
Imagem da Internet


7 comentários:

  1. Muito bom texto, viver de forma simples é a melhor coisa, mas só quando podemos escolher essa simplicidade, nunca por necessidade, é bem assim e conforto todo mundo gosta!
    Poder ser simples por escolha não há nada melhor na vida!
    Abraços, amei ler!

    ResponderExcluir
  2. Melhor que o simples é o desapego. Ter é bom, queremos sempre novidades, mas podemos trabalhar o desapego. Quebrou? Fazer o quê. Perdeu? paciência. Arranhões o carro? Sofra pouco. Ter e não ter ao mesmo tempo, sabendo que tudo é efêmero.

    ResponderExcluir
  3. Beleza e essa frase final fala muito! Adorei! bjs, chica

    ResponderExcluir
  4. Que reflexão, essa.
    Queremos ser simples, mas com a comodidade da tecnologia.
    Adorei.
    Xeros

    ResponderExcluir
  5. As coisas simples por vezes são as que mais dificuldades apresentam...


    Bjuss,
    AL

    ResponderExcluir
  6. Oi, Leila! Pois é, beleza de texto, porém simplicidade não é pobreza; é menos, apenas. Mas importante é desapegar-se: tem demais? Doe um pouco, livre-se do monte que não faz falta. O que é importantíssimo é o consumismo, esse é um aleijo - compramos sem necessidade. Eu tinha muita coisa que me desfiz e acho maravilhoso viver com coisas satisfatórias, porém poucas. Dei uma limpada, é liberdade isso.
    Grande beijo, querida, saudades de você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tais, saudade tb!

      O tempo nos ensina que viver com menos é mais! Mais qualidade, mais tranquilidade, mais espaço físico e mental.

      Grane abraço

      Leila

      Excluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço