sábado, 26 de setembro de 2015

Dias tortos



Perdi a hora. E desta vez não foi culpa do despertador, nem do el-niño, nem do governo. Assumo que a culpa foi toda minha. O problema é que perder a hora em plena segunda-feira tem um efeito dominó que, se não cuidarmos, pode derrubar até a sexta-feira. 
O jeito foi correr contra o tempo. Banho "no automático”. Enquanto a água descia eu tentava, ainda sonolenta, refazer a agenda do meu dia. Tenho que desmarcar aqui, remarcar acolá. Por um triz não escovei os dentes com o creme de cabelo. Foi salva pelo meu olfato.
Café da manhã nem pensar! E se tem uma coisa que me deixa mal-humorada é não tomar café da manhã. Mas como compromissos tem prioridade, esquece o café e vai.... Então parti para o segundo obstáculo do dia, o trânsito. Trânsito parece que tem uma conexão direta com os astros, o trânsito sempre sabe quando estamos com pressa. Somente em dia de pressa você pega um engarrafamento ou o seu trajeto é interrompido por uma obra. Comigo não foi diferente! Naquela manhã, entre a minha casa e o meu compromisso, eu cruzei com todos os obstáculos possíveis e imagináveis. 
Tentei cantar, mas a cabeça preocupada com o atraso não conseguiu lembrar as letras das músicas. Tentei pensar em brisa, natureza, cachoeira, mas como pensar nisso se o relógio corria e o meu dia escorria junto? Então pensei no Dalai Lama. Será que ele já perdeu a hora alguma vez na vida? Será que já teve de correr senão ia perder um voo, uma palestra ou um compromisso importante? E o Papa Francisco? Será que alguma vez escovou os dentes na correria? Imaginei como os dois reagiriam diante de tal cenário. E a resposta que eu tive foi os dois rindo de si mesmos e seguindo em frente na mesma toada de sempre. Nem mais rápido, nem mais lento. Do jeito que é possível ser.
Então ri de mim e relaxei no banco. Virei a esquina da rua Sete de Setembro, para variar não tinha lugar para estacionar, o que piorava a minha condição de atrasada. Dei uma volta no quarteirão, encostei rapidamente e embora eu tentasse me controlar, entrei esbaforida no consultório. Antes mesmo de eu abrir a boca para falar do meu atraso a secretaria sorri para mim e me diz "fique tranquila Dona Leila, o próximo cliente cancelou, o horário é todo seu"! Coincidência ou não, quando olhei para o lado me deparei com o Papa Francisco na capa de uma revista. Olhei para a foto e pisquei para ele. Valeu! 

Leila Rodrigues

Publicado no Jornal Agora Divinópolis e no JC Arcos

Imagem da Internet

2 comentários:

  1. olá.
    Estou retomando a vida de escrever e visitar os amigos.
    Parei um pouco aqui e gostei.
    Tenha um lindo Sábado.
    Beijo.
    http://perfumesepalavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. É Leila... foste abençoada... e por alta autoridade clerical!
    Abraço.

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço