terça-feira, 10 de junho de 2014

Hey brother




Hei brother! Pode entrar que a casa é minha!
Não se assuste comigo. A hospitalidade brasileira é assim mesmo! Chegou? Então entra e senta que o café já está no bule. Sei que você não é dado a sorrisos, mas aqui o riso é naturalmente solto. Pode acostumar!  Aqui se ri da crise, ri do outro e ri para o outro como eu estou agora.
Em outros tempos eu diria "pode entrar que casa é sua", mas aí o amigo leva ao pé da letra e pega logo a minha sala de visitas que é a Amazônia e vai querer fazer valer o que eu disse.  Ou então eu poderia dizer "pode entrar que a casa é nossa", mas o amigo não vai querer partilhar comigo as responsabilidades do dia-a-dia. Então melhor deixar claro que a casa é minha, como é minha a responsabilidade de zelar e cuidar dela. Se eu cuidei bem ou mal, não é com você que eu vou lavar a roupa suja.
A casa não é muito confortável, mas fique à vontade mesmo assim. O chão está gasto, as paredes encardidas, mas eu te peço que releve e prove da nossa hospitalidade. Prove o nosso gingado, o nosso sabor e a nossa cultura. Talvez isso seja pouco, mas é o que temos a oferecer.
Experimente acarajé, feijoada, pão de queijo, arroz de carreteiro e vatapá. Experimente uma pata de caranguejo. É divino! São sabores únicos, saídos da genuína história desta nação e que durante esses quinhentos e poucos anos de vida encheram nossas barrigas vazias de muito mais. Ouça Ivete Sangalo, Skank, Zeca Pagodinho e Seu Jorge e deixe a nossa música invadir os seus ouvidos. Ouça Tulipa, Maria Rita e Ivete e se encante. Dance! Dance um xote, um forró, um samba ou quem sabe um fandango.
Visite nossos museus, vá ao teatro, conheça nosso artesanato e leve uma lembrança daqui! Imagine que você sabe sambar e balance as cadeiras. Você está no Brasil!
Vá até a costa brasileira e deixe o vento do atlântico soprar os seus cabelos. Deixe que o sol dos trópicos te ofereça uma nova cor, só não se esqueça do filtro solar porque o sol aqui não brinca. Pegue uma onda, duas, três, sete e faça um pedido.
Conheça o Corcovado, a Lagoa da Pampulha, a Serra Gaúcha, o Parque do Ibirapuera, Jericoacoara e Porto de Galinhas. Pela distância dos lugares você verá que está num pais gigante. Um gigante carente. Carente de cuidados, atenção e respeito;  gigante de extensão, gigante de pessoas e possibilidades. E depois de alguns santos vestidos e outros tantos desvestidos para a festa, seremos nós, pessoas comuns que você vai cruzar enquanto estiver por aqui, que vamos te mostrar o que ainda há de verdadeiramente bom neste país! 

Leila Rodrigues

Publicado no Jornal Agora Divinópolis em 10/06/2014
Imagem da Internet

15 comentários:

  1. Que beleza,Leila! Que a Copa aconteça na Paz, na maior ordem e que os visitantes possam ver as belezas daqui e não aquilo que tanto nos incomoda:insegurança e tantas coisitas mais... beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Leilamiga

    É um convite cheio de boa vontade, mas é também o abrir da caixa de Pandora à brasileira. O movimento contestatário nas ruas será mais importante que a Copa 2014?

    O Brasil, país irmão (prefiro país filho) que cresceu mais que o pai lusitano debate-se com problemas quase tirados a papel químico.

    Mas, um e outro vamos vencer. O problema é não saber quando...

    Qjs

    ResponderExcluir

  3. Olá Leila,

    Adorei a crônica. Linda demais!
    Nela vai um recado importante para o povo brasileiro com relação à copa e chegada dos torcedores estrangeiros e demais turistas: "...não é com você que eu vou lavar a roupa suja". É isso mesmo! Não obstante todo o nosso descontentamento com os gastos com a copa, em detrimento de necessidades mais importantes do país e do povo, devemos acolher nossos visitantes com a habitual cortesia brasileira, deixando-os à vontade para apreciar e desfrutar das belezas do nosso gigante.

    Parabéns por esse belo momento de inspiração.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Como gostei da crónica e como está bem refletida nela a Alma brasileira.
    Beijo.
    isa.

    ResponderExcluir
  5. Querida amiga, tu não mencionaste nossa amarga bebida gaúcha. Isso prova que temos muitas coisas para oferecer. Imagine, o gringo queimando a língua com um gole de chimarrão!
    Um abração. Tenhas uma boa tarde.

    ResponderExcluir
  6. Que texto delicioso.
    Que forma magnifica de os mostrar os encantos de um país (que eu conheço) levando-nos embaladados nos usos e costumes, na cultura, e em todos os encantos que essa terra maravilhosa tem para nos oferecer.
    Obrigado pela hospitalidade!
    Adorei este momento!

    ResponderExcluir
  7. Querida e talentosa Leila!
    Suas crônicas são muito bem-escritas e interessantes.
    Tenho essa preocupação, da boa acolhida aos estrangeiros que não tem, na verdade, nenhum envolvimento com nossas questões internas, muito menos culpa de alguma coisa. Penso que, agora que vai ser aqui mesmo e pronto, que a Copa seja um exemplo de fair play fora das quadras também. Assim seja!

    Grande beijo e sempre um muito obrigada pelo incentivo e companhia!

    ResponderExcluir
  8. Leila
    Demais a sua crônica de forma bem lúdica deste um recado aos estrangeiros. Só resta agora esperar que eles voltem às suas terras satisfeitos e com belas imagem deste país, que na realidade tem muitas questões urgentes a solucionar.
    Adorei.
    bjs.

    ResponderExcluir
  9. lEILA estou maravilhada que beleza de crônica, amei, parabéns beijos Luconi

    ResponderExcluir
  10. Leila, vc é demais! Um texto excelente e bem verdadeiro: no final é o povo,nós que iremos receber o pessoal de fora nessa Copa! Bjs,

    ResponderExcluir
  11. ADOREI!!!
    Você é muito inspirada, Leila, quando recepciona dessa maneira o nosso 'brother' de país estrangeiro. Não somos exatamente assim? Rimos de tudo, do outro, de nós mesmos... Não temos um potencial gigante, uma criatividade maior do que nós mesmos? E uma capacidade de nos alegrarmos até quando quem olha de fora não vê motivo algum para alegria... E, sim, temos muito a lamentar, reclamar, reivindicar! Mas façamos isso na hora certa e no lugar certo (outubro vem aí!), nosso irmão estrangeiro nada tem a ver com isso: que seja bem recebido em NOSSA casa! Que aqui se sinta bem, que parta com boas recordações. Exatamente como gostaríamos de ser recebidos em sua casa também.

    Texto PERFEITO!

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá, Leila.

    De fato, temos que dar boas vindas aos visitantes desse nosso grande Brasil. A eles, não interessa a pequenez de quem nos vendeu legados e sonegou, só negou e nos entregou verdadeiros negados. Com esses, nos acertamos depois (nas urnas). Agora é hora de celebrar a brasilidade.

    Um abração e uma boa semana.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Leila, realmente não tínhamos de ter aceito essa Copa, não tínhamos meios para desembolsar tantos bilhões que teria destino melhor. Aliás o único destino que deveria ter: dar dignidade ao povo. Por isso, digo que os gringos não tem culpa de nada,não tem o porquê de sermos ríspidos, mas que muita coisa tirou o brilho,ah tirou! Apesar de tudo, o nosso país continua lindo.
    E a abertura da Copa, heim??? rss
    Beijão!!

    ResponderExcluir
  14. Minha querida

    Um convite com todas as honras e a hospitalidade que eu conheci, nos dois anos que aí vivi.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  15. ...que venham os gringos, e que eles sejam bem recebidos pelo Brasil, país maravilhoso e hospitaleiro e não tem culpa dos governantes que tem! crônica perfeita, como tudo que você faz! bjs, linda!

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço