segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Até quando?




Viajar é, sem dúvida, expandir a alma. Conhecer novas culturas, novos ambientes, novos comportamentos e formas de viver faz com que saiamos do nosso "mundinho particular" e assim consigamos compreender um pouco mais adversidades. O diferente não é um inimigo à espreita, é apenas o diferente e nada mais. Outras formas de viver também são formas e também trazem felicidade.

O difícil é quando conhecemos uma cultura mais "civilizada" que a nossa. Sim, a palavra que eu quis dizer foi essa mesma, CIVILIZADA. Um lugar onde a fila funciona, onde o trânsito funciona, onde o respeito pelo próximo funciona é, com certeza, um lugar mais civilizado que este nosso amado e idolatrado país.
Amo o meu país e não pretendo deixá-lo. Já entendi também que não se pode comparar o primeiro mundo com o nosso. Mas é difícil ter que aceitar que o nosso DNA é esse. Dá vontade de mudar tudo! De começar um movimento, de sair limpando as ruas, acordando as pessoas para o respeito para com o próximo e para com o ambiente.

Sabemos que o problema tem origens muito profundas. A começar pela nossa colonização. Mas até quando vamos continuar usando essa desculpa para a nossa "não evolução"?

Fiquei alguns dias me questionando de onde vem essa rebeldia do brasileiro que em tudo tem que burlar a regra? Por que a ordem nos incomoda tanto? Por que tanto desrespeito para com o ambiente? Que tamanha falta de amor às nossas cidades, ao nosso país? Será que algum dia seremos mais educados?

Sofremos com a falta de infraestrutura básica e em contra partida respondemos com o descaso pelo ambiente, pelo próximo e pela vida. Escolhemos nossos representantes pelo que ele vai nos favorecer ou pelo menos pior. Repreendemos o "jeitinho" que o outro deu, mas usamos o "jeitinho" a nosso favor.

Será que o nosso país ainda tem jeito?  Até quando vamos nos envergonhar de nós mesmos? Será que podemos começar por algum lugar? Resolvi começar dentro da minha casa, com os meus filhos, que é onde eu realmente posso fazer alguma coisa. Ainda acredito que se em cada família, crescer uma criança civilizada, teremos grandes chances de, daqui a alguns anos termos algum progresso. Se vamos conseguir ou não? Melhor fazer do que questionar. Pois só agindo podemos sonhar com um Brasil melhor.

Leila Rodrigues

Publicado no Jornal Agora Divinópolis em 04/02/2014
Imagem da internet

11 comentários:

  1. Como tu, acredito que começar em casa já ué um bom caminho e passo dado.Esperar pelos demais? Cansei!!bjs chica

    ResponderExcluir
  2. Também concordo com você Leila - começar em casa.
    E também acho que não devemos mais nos justificar com as raízes da nossa colonização. Temos agora, neste tempo muito esclarecimento, muitas oportunidades para mudar e agirmos diferente.
    Vamos sonhar com um país melhor.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Sem dúvida alguma, Leila, a educação, o exemplo, a prática mais que a teoria reside nas famílias. Se o berço for aconchegante e acolhedor em amor de pai e mãe, claro que nossas crianças serão seres éticos e responsáveis por seus atos e pela dignidade para com o outro. Se cada um de nós fizermos a nossa parte, com certeza teremos um bom resultado.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Verdade Leila, começar em casa já é um grande começo de uma possível mudança, embora saibamos que uma mudança bem lenta.
    Xeros

    ResponderExcluir
  5. Olá Leila, e que tudo esteja bem contigo!

    Pois é prezada Leila, falta na maior parte deste povo é consciência, pois ele sabe que esta fazendo errado, mas continua, pois, o outro faz, e por este motivo eu penso que os brasileiros são o povo mais Maria vai com as outras, com um detalhe, somente na contrariedade das regras, e também se as vantagens todas lhe favorecem, pois do contrário ele exige que se cumpram as regras. Ou seja, usam nesta nossa amada pátria, dois pesos e duas medidas sem o menor decoro!
    Postagem interessante, e que demonstra que você é consciente das tuas responsabilidades, e a imagem também completa o escrito. Obrigado por compartilhar e parabéns!
    E assim grato por tuas gentis visitas e comentários, e também por tua amizade compartilhando belos pensamentos, eu desejo que seja sempre tão intenso e deveras feliz o teu viver, um grande abraço e, até mais!

    ResponderExcluir
  6. Leila, você é uma querida!
    Muito obrigada pelos teus comentários no meu blog, sempre muito aguardados, pois palavras sensíveis e inteligentes como você tem por aqui.

    Grande beijo!

    Tem que contar sobre a viagem... fiquei curiosa :)

    ResponderExcluir
  7. Tens razão minha linda amiga, atitude e ação ,talvez sejam as palavras chaves para o movimento da mudança.Começar por nós, nossa família e depois ir crescendo o circulo.
    Nada é impossível.Vamos ter fé e agir.Bela crônica! Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  8. Olá, boa tarde.
    Tudo de de bom. Estou lhe seguindo, e convidando a visitar-me. Se possível, aguardo-te, seguindo-nos.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  9. Leila
    Acho que perdemos o fio da meada. Antes não era assim. Já não sei dizer se tudo vai melhorar. Fico indignada em ver e vivenciar tamanha bagunça.

    Espero veementemente que venha uma luz para melhorar este país.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Seu texto continua espontâneo e sensível. Agora, com mais leitores.

    Parabéns!

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço