domingo, 5 de maio de 2013

Pinceladas de amor no cotidiano do século XXI







Olá pessoal,

Falar de amor nos dias de hoje é tão difícil quanto inventar um conto de fadas. Pode ser que o romantismo tenha ficado mesmo piegas, pode ser que as tantas formas de amar tenham facilitado tanto que cartas de amor perderam o sentido. 
Mas o amor está aí, ele acontece diariamente com um monte de gente. Ele está nos gestos, nos olhares, na vontade de ficar junto, nas poucas e apressadas falas de quem tem que dividir o tempo com o resto do mundo e levar o amor na foto do celular. 
Pinceladas de amor no cotidiano do século XXI  é a minha forma de reverenciar este velho guerreiro capaz de se adaptar e resistir ao tempo, ao novo, ao velho, ao momento e a qualquer mudança que vier, o amor.
Abraços a todos
 Boa leitura!

Leila Rodrigues


Pinceladas de amor no cotidiano do século XXI.


_Estou tão cansada! O dia foi terrível!
_Estou tão disposto!
_Achei que você também estivesse cansado. Você acabou de reclamar do trânsito infernal.
_Disso eu realmente estou cansado, mas para o resto, estou disposto.
_Lá vem você de novo!... 
_Toma alguma coisa comigo? Uma cervejinha pode ser?
_Cerveja não, mas tomo um vinho.
_Entendi. Cerveja engorda não é?!
_É... Mas e o vinho, aceita?
_Claro! O que é que temos para comer?
_Hummm... Tem um pão italiano. Não é novo, mas funciona.
_Esse pão está igual a mim... Rsrs
_Seu bobo! Rsrs.. É só fazer torrada que dá certo.
_Isso é bom! E aquelas azeitonas bem carnudas, ainda tem?
_Tem meio pote, traz aí. 
_Essa azeitona está igual você!
_Olha a ofensa!!!
_Quem disse que carnuda é ofensa? Carnuda é elogio! Quando um homem diz carnuda, ele quer dizer gostosa.
_Tá bom, aceito o carnuda.  E queijo, será que temos? 
_Queijo pode deixar que eu junto o que tiver e trago para a mesa.
_Não esquece a água. Vou pegar as taças.
_Pegue aquelas gigantes, que ganhamos de presente de casamento.
_Por quê? Hoje não é festa?
_É sim! 
_Vamos comemorar o quê?
_Ao melhor lugar do mundo, nossa casa. E a melhor companhia, você!
_Agora fiquei lisonjeada! Romântico você?!
_Romântico não que essa palavra é piegas, sincero.
_Muito bem senhor Sincero, quer saber sinceramente?
_Quero.
_Já estou começando a ficar disposta...
_E eu já comecei esquecer que o dia foi terrível...


Leila Rodrigues
Imagem da internet

11 comentários:

  1. Leilamiga

    Deixo-te um comentário à espero que tu faças o mesmo na nossa Travessa. Obrigado..

    Quanto ao teu post tenho de dizer que há vidas e vidas; pareceu-me muito interessante. Parabéns!

    Qjs

    H

    ______

    Estive muito doente katé fui ao hospital de Santa Maria aqui em Lisboa onde passei onze horas. Não conseguia falar abrir os olhos e mexer-me. Ninguém ou melhor, nenhuma médica ou nenhum médico conseguiu saber o que era esse pesadelo, pelo
    menos até este momento.Felizmente estou bem como podes compreender por este comentário, mas foi um pesadelo!


    Qjs

    H

    ResponderExcluir
  2. Olá Leila!...

    Sabes que gosto da tua escrita, mas este diálogo está lindo!!!!!

    Beijos,
    AL

    ResponderExcluir
  3. O amor tem o poder de contornar todo e qualquer contratempo do cotidiano.
    Adorei as pinceladas.
    Xeros

    ResponderExcluir
  4. Compartilhar momentos e sentimentos pode ser o que de melhor aspiramos.Isto é amor.
    Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  5. Para quem já perdeu o Romantismo fica uma dica: "Nunca é tarde para recomeçar”.
    Pequenas atitudes levam a grandes resultados.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Olá, Leila.

    Essas “pinceladas” acordam as cores que só o amor pode dar à acromia da vida, desbotada pela rotina, oxidada pela pressa, esmaecida...

    Parabéns por mais um belo escrito.

    Um abração.

    ResponderExcluir
  7. Lindo isso! A gente tem que acreditar sim no amor, no romantismo, afinal.. existe sim! Parabéns!!! Beijos!!!

    ResponderExcluir
  8. Boa noite minha querida !!!!!!!!!!!!
    Às vezes, as palavras se perdem na expressão da palavra Mãe. Nenhum dicionário definirá a magia do seu significado e, em todos os idiomas, traduz o mesmo sentimento: ser mãe.
    E vendo o carinho dedicado ao dia das mães,deixo o meu pra vc que é mãe!

    ResponderExcluir
  9. Leila!
    O cotidiano pode ser bem mais interessante, depende dos olhos de quem vê... Lindo o texto!

    Elizângela

    ResponderExcluir
  10. Leilamiga


    Porque nunca mais voltaste à nossa Travessa não descobriste que eu iniciara uma nova secção: ORA AGORA, VIRA em que escrevo contos policiais, com muitos crimes e muito sexo. Creio que esta informação serve para te abrir o apetite e vás lá…

    Por outro lado está lá colocado um novo PASSATEMPO/CONCURSO que tem como sempre os prémios das folhinhas indianas com figuras pintadas que talvez já tenhas recebido algumas por teres sido a vencedora de um outro. Se quiseres concorrer… concorre. Muito obrigado

    Qjs

    Henrique

    ResponderExcluir
  11. Leila, tudo bem?
    Muito bom!
    Às vezes a história é o começo de um romance, em outras, o romance é o começo de uma história.

    De qualquer forma acredito: "se for roseira, florescerá" - como diziam os romanos.
    Mas é sempre aconselhável estar disposto a sentir, não é mesmo? E nem pensar se isso é piegas ou não.

    Beijos e ótimos dias!

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço