terça-feira, 19 de junho de 2012

A primeira vez outra vez



Enquanto ele dormia o sono dos justos, fui escorregando dos seus braços até sair completamente da cama. Como uma serpente. Silenciosa. De pé, procurei as minhas roupas espalhadas pelo chão e caminhei até o banheiro. Encostei tão devagarinho a porta que nem eu ouvi. Fechei-me.
Olhei no espelho e fiquei me observando por alguns minutos. O que é que eu estava fazendo ali? Eu não me reconhecia naquela mulher.  Eu não sabia se chorava de vergonha ou se ria da minha coragem. E sabia que vergonha e coragem não cabiam na mesma frase.
Vergonha de começar tudo de novo. Vergonha de uma primeira vez, outra vez. Não vergonha de mim ou da minha decisão. Talvez a palavra certa fosse timidez mesmo. Timidez de quem ficou tanto tempo guardada em si mesma, que o lugar do outro já havia empoeirado, perdido a poesia. Vergonha dos meus filhos se me vissem naquela hora. Vergonha de ter tido coragem.
Mas ao mesmo tempo um riso leve comemorava a minha, também tímida, coragem. Coragem de permitir que alguém entrasse em minha vida, depois de tanto tempo de portas fechadas. Coragem de assumir que eu também quis aquele momento. Coragem de estar ali, coragem de viver de novo um momento adolescente. Coragem de assumir as minhas vergonhas.
Ali estava eu, fechada no banheiro, com vergonha de encarar de novo aquele mesmo homem que há pouco me fizera tão feliz. Desejei ter asas, desejei desintegrar-me, desejei que tudo voltasse ao normal. Meu quarto, meus livros, meu gato e minha velha xícara de café. Mas só tinha mesmo um banheiro todo bege, sem dono, sem identidade e um homem dormindo do lado de lá. Lembrei-me de quando eu fugia da escola. Era tão fácil, tão rápido. Tive vontade de ser de novo aquela criança e fugir correndo daquele lugar. Uma vontade boba, ingênua. Comecei a rir de mim. Rir da minha criancice, da minha saída ridícula pela tangente. 
Olhei para o lado e ele estava me olhando. Levei tanto susto que comecei a gargalhar. De aperto, de timidez, de vergonha e de coragem. Minha boca já não tinha o batom de ontem, meus brincos estavam dentro da bolsa e meus cabelos já não eram os tão lisos que ele tocou. Ainda assim ele me olhou querendo mais um pouco de mim. Em plena luz do dia, sem a noite para camuflar com os seus efeitos e sem o vinho para levitar nossas intenções. Existe algo mais encorajador que isso?
 Não dava para fugir naquela hora, mas foi possível continuar a brincadeira e fazer dela a melhor diversão.

Leila Rodrigues
Imagen retirada da Internet

42 comentários:

  1. Bom dia Leila!!!
    A timidez pode até tomar conta, mas quando o sentimento é verdadeiro ele vai adiante e se transforma da melhor maneira possível.
    Belo post.
    Xeros

    ResponderExcluir
  2. Enquanto dormia
    E sonhava talvez
    Que gosto teria
    Da primeira vez!

    Saia da cama completamente
    Como uma serpente, silenciosa
    Devagarinho certamente
    E por ver roupas espalhadas, desgostosa!

    Desejo um bom dia de terça-feira, e continuação de ótima semana para você, amiga Leila. Nome muito bonito!
    Um abraço
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  3. Que lindo Leila, fiquei encantada com o texto, sensível, delicado, amoroso, sensual...lindo demais...um abraço

    ResponderExcluir
  4. A coragem de investirmos em nossa felicidade jamais deverá ser abandonada. É um processo. Um investimento a ser regiamente cuidado. Ir livre ao encontro da mesma, sempre!
    Bjs. Célia.

    ResponderExcluir
  5. Que lindo!!Como escreves bem,Leila!!Deu pra sentir a vergonha e depois rir junto na retomada...beijos,chica

    ResponderExcluir
  6. Oi Leila,
    Eu já acordei com uma bruta de uma ressaca moral e fugi no dia seguinte! Não é uma coisa muito bonita para se confessar, mas fazer o que? Eu fiz...
    xoxo

    www.gosto-disto.com

    ResponderExcluir
  7. Bom dia minha amiga fidalga!
    Quando vieres a minha Paraiba ,sei que ficarás tão encantada com o todo e o tudo que reina nessa terra ,Das pessoas hospitaleiras,do romantismo do lugar,do celeiro de poetas e escritores que por aqui nasceram.Sei que vc vai se interagir muito bem.Só uma dúvida terei nisso tudo.É que vc não vai querer mais voltar para sua terra,rsrsrsrsrsrs
    E meu coração dará uma festa com sua vinda ,com certeza...
    Conto lindo e encantador.Será que é mais uma das histórias da nossa vida real?
    Eu já me senti assim quantas vezes!!!!!!!Nem vou falar.Mais que nos inspira grandes desejos de viver um amor assim,com certeza ...
    bjs minha amada!!!!
    Fala da saúde querida?Vc está bem mesmo?

    ResponderExcluir
  8. Olá Leila,

    Maravilhoso texto,
    A timidez não resiste a força de um sentimento verdadeiro, mais na verdade quando a timidez toma conta do nosso ser, as mãos gela, os pés e o corpo todo risosss.
    Tem uma frase que diz que; o gelo da timidez só desfaz-se ao fogo do amor. Ou então arde em chamas de tanto medo e pavor!

    Acredito que a timidez é um grande tempero pra vida.

    Beijos e ótima semana.

    ResponderExcluir
  9. Ah! querida que lindo! Permitir-se é viver.Adorei teu texto.
    Um coração de mulher se expondo para viver a vida na sua plenitude.
    Belo!!Amei.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  10. Ah Leila, que lindo e tão real! É isso aí...decisão certíssima: sem vergonha de SER FELIZ! Adorei sua visita, viu?
    Beijuuss n.a.

    ResponderExcluir
  11. O começar de novo dá-nos medo, mas quando impulsado nos revigora... um texto que devemos encarar como ensinamento... Olá querida Leila, sempre um deleite passear por tua página... um resto de semana de luz. Beijos perfumados no coração.

    ResponderExcluir
  12. Leila,nada como se dar uma segunda chance na vida!Sempre podemos recomeçar!Adorei seu conto!bjs e meu carinho,esperando que esteja melhor!

    ResponderExcluir
  13. Oi Leila...
    Lindo post... Eu acho que agiria dessa forma se um dia tivesse que recomeçar uma relação....rs.... Amei!
    Beijos!
    San...

    ResponderExcluir
  14. DE 5 A 8 DE JULHO/2012 , FESTIVAL DE JAZZ E BLUES DE POÇOS DE CALDAS. MAIORES INFORMAÇÕES NO SITE ABAIXO:

    http://www.jazzbluespocosdecaldas.com.br/site/

    ResponderExcluir
  15. DE 5 A 8 DE JULHO/2012 , FESTIVAL DE JAZZ E BLUES DE POÇOS DE CALDAS. MAIORES INFORMAÇÕES NO SITE ABAIXO:

    http://www.jazzbluespocosdecaldas.com.br/site/

    ResponderExcluir
  16. Sentimentos e desejos guardados, não mais trancafiados dentro do ser.
    Esse outra vez está belíssimo. O tempo pode adormecer algumas sensações e permitirmo-nos revivê-las é uma glória. Bjs.

    ResponderExcluir
  17. Leila querida! Obrigada por compartilhar conosco tão bem escrita e prazeirosa leitura! À medida que lia, me emocionava.... O recomeço não tem idade.... Para o milagre da vida não existem diferenças, de idade, de cor, sexo, só a vontade de continuar vivendo, se abrindo pra novas chances e esperanças, um salto em direção a felicidade! Adorei teu texto! Parabéns!
    Bjo no coração! Muito obrigada pelas tuas palavras carinhosas lá no blog.... Significam muito pra mim!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Lindo! Com o toque da emoção da primeira vez, do recomeço, do estar apaixonada a qualquer idade.
    Parabéns. Beijo

    ResponderExcluir
  19. Oi Leila
    Muito legal a história, daquelas que se lê facilmente e fica com gosto de quero mais. Eu gosto muito do jeito que vc escreve, faz me lembrar meu autor favorito.
    Bjos. e uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  20. Uma crônica assim, tão viva, tão real, nos encoraja, para a bela aventura no (re)começar de um intenso amor.
    Belo texto, Leila!
    Beijo,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  21. OI LEILA!
    DESCREVES AI, A LIBERTAÇÃO DE UMA MULHER, AO SE DAR CONTA QUE ESTAVA PRESA EM SUAS PRÓPRIAS AMARRAS E A ALEGRIA DA REALIZAÇÃO E DA CONSTATAÇÃO DA RETOMADA DELA MESMA...
    LINDO!
    ABRÇS

    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
  22. Querida Amiga....desculpa a ausencia..

    Te visitar é sinomino de uma excelente leitura. Com suas cronicas, seus pormas seus contos...
    Hoje mesmo escrevi o seu poema que voce tão lindamente escreveu na lateral do meu blog.
    Recomeçar nunca é facil.
    Exige uma boa dose de coragem e atitude.
    Penso que a gente se engana achando que nós conduzimos a vida.
    Penso que é ela que nos conduz.
    Um beijo amada...saudades de voce
    Leila.....se cuida!

    ResponderExcluir
  23. Leila, lindona!
    Texto muito bom, viajei nele...
    De caráter intimista, aliás como sinto teu estilo de escrita. Entrei dentro da personagem..., e quantas vezes nós mulheres não temos indagações muito parecidas sobre coisas que aconteceram, se ainda vão acontecer, ou se foi a primeira e única vez. E o tempo parece brincar com a gente.

    Beijos e ótimos dias!

    ResponderExcluir
  24. Leila,passei para reler seu sensivel texto e dizer que morri de rir com a história do Gustavo!...rsss..explicar pra ele essa história de picar a mula deve ter sido dificil!...rsss..cuidado pra ele não se traumatizar!Preciso tomar cuidado com o que posto nesse meu blog!...rss...bjs e meu carinho,

    ResponderExcluir
  25. Oi Leila,

    Delicioso texto!
    A arte de recomeçar requer coragem.
    Devemos nos permitir este recomeço, ainda que com doses de timidez. Somente assim poderemos viver momentos mágicos como este
    traduzido no texto.
    Viver será sempre uma aventura maravilhosa para aqueles que dispõe de coragem e ousadia.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  26. Oi querida Leilinha

    Tudo bem? O texto é tão bom que perdi o fôlego. Fiquei imaginando se teria essa coragem para viver um momento adolescente, pois ando cética. Porém, percebo no texto a disposição em viver e continuar a ser mulher. Parabéns pelo olhar!

    Beijos.
    Lu

    ResponderExcluir
  27. .



    Leila, eu só vim para dizer
    oi, deixar um beijo e lembrar
    que amanhã, 23, eu postarei
    no blog de outra pessoa e ado-
    raria contar com o seu comen-
    tário no rodapé do meu texto.

    http://bardoescritor.blogspot.com


    silvioafonso






    .

    ResponderExcluir
  28. Olá.
    Muito bom,muito interessante,parabéns.
    Até mais

    ResponderExcluir
  29. Minha querida

    Amar não é pecado...viver é felicidade...entregar-se de corpo e alma é libertação.
    Adorei o texto...É IMENSO e belo.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  30. Leila querida! Passando pra ver como você está.... Agradecer o carinho e convidar, pois na segunda-feira, dia 25 de junho, terei postagem nova!
    Um final de semana iluminado!
    Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  31. A cragem nunca será motivo de vergonha! (devagarinho tento retribuir as visitas e agradecer o carinho) BShell

    ResponderExcluir
  32. Querida amiga hoje eu vim agradecer o carinho de sua presença no meu cantinho, assim que poder virei com mais calma.
    Um abençoado fim de semana.
    Abraço amigo
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  33. Nossa,Leila!!!
    Que texto lindo!!Quantos sentimentos intensos!Sempre é tempo de ter outra primeira vez, porque não?!
    Todo mundo merece amar e ser amada!
    Adorei seu texto!De uma leveza e sensibilidade cativantes!!

    ResponderExcluir
  34. Tua escrita me agrada tanto como o mar. Sem vergonha nenhuma. Beijo

    ResponderExcluir
  35. Eu gosto muito das suas postagem, quando exploram a luta interior das pessoas. Na procura da felicidade plena, somos traídos por nossos anseios e à vezes ganhamos, outras perdemos, num constante jogo com nosso "eu" interior.

    Obrigado pela visita na Tenda das Palavras. Volte sempre, minha amiga.

    ResponderExcluir
  36. Olá Leila,

    Passei pra desejar uma excelente semana cheia de coisas especias.

    Beijos!

    Ótima semana!

    ResponderExcluir
  37. Boa noite minha amiga fidalga!
    Hoje vim aqui ler mais um pouquinho do muito que escreves.Falar da minha saudade e saber como vc está de saúde ?
    bjs para te encantar!

    ResponderExcluir
  38. O lindo da vida é este permitir-se ser feliz. Lindo demais Leila.
    Venho da Anne depois de ler o texto A Chegada. Como mineiro fiquei curioso.
    Gostei Leila.
    Um abraço mineiro de flor.
    Paz e muita luz para voce.

    ResponderExcluir
  39. Adorei! Viagei no teu conto. Lindo!

    ResponderExcluir
  40. Adoro suas crônicas. São tocantes, profundos e mexem com o íntimo das pessoas. Muitas vezes sentimos assim querendo fugir, mas depois recuamos.

    Um lindo domingo para você.
    Bjs

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço