quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Domingo

Quando criança, domingo era dia de missa. E de picolé depois da missa. Domingo era dia de frango, de macarronada, de casa de vó. Domingo tinha um cheiro diferente, cheiro de alegria.

Cresci e o domingo virou um tédio. Talvez pela sua localização estratégica entre o sábado e a segunda, o domingo servia para acumular duas coisas: a ressaca do sábado (bebido ou não) e a revolta pela segunda. O infeliz não passava; eu arrastava um chinelo pela casa, embrulhada naquele roupão encardido de sempre, amargando a espera dele passar. Isso quando eu não chorava ao entardecer. Sem nenhum motivo aparente eu derramava um pranto sem sujeito quando chegava aquela hora fatídica.

Incomodada com aquele dia cruel bem no início da minha semana, comecei a me encher de compromissos. Precisava dar um jeito de reverter aquela situação! Feiras, almoços, parques, shoppings, enfim, compromisso era meu sobrenome. Passava o domino (domingo) na rua. Programa não faltou. O que faltou foi disposição mesmo! Chegava na segunda eu estava um caco, um trapo de gente arrastando o peso do meu cansaço. Percebi que havia escolhido a estratégia errada.

Continuei minha saga em busca do domingo perfeito. Comecei a juntar dinheiro para comprar um sítio, minha casa de campo. Isso sim vai ser felicidade! Natureza, sossego, silêncio... Até esqueci o trabalho que dá, o trânsito para ir e vir, a manutenção do meu sonho, enfim.  Quando vi que isso poderia demorar alguns anos, fiquei à deriva novamente. Não que eu tenha desistido do sonho, mas eu queria resolver isso agora. Não tenho um dia da semana para dar de presente ao nada. É perder muito da vida.

De volta ao meu apartamento, resolvi dedicar o meu domingo a alguém muito especial: A mim mesma!

Hoje ele (o domingo) passa tão rápido que mal dá tempo de fazer tudo que eu quero. Tomo meu café da manhã de rainha, ouvindo as minhas músicas, sem pressa.  Leio meus livros, mato a saudade dos meus amigos. Caminho, cozinho, ou invento uma comida única, temperada com um pouco de mim. Assisto meus filmes, meus programas prediletos. Escrevo, leio, escrevo de novo, leio mais um pouco. Aprecio com mais tempo os meus filhos, o meu marido, as flores do meu jardim, a paisagem da minha janela. Falo com meus amigos distantes. Coloco ou tiro compromissos no domingo conforme a minha vontade, meu estado de espírito.

Converso comigo e com Deus. Ouço um pouco de silêncio e também um pouco de mim. Dou a mim mesma, um pouco mais do que meus cinco minutos sonhados. Dou-me um começo melhor, uma semana começando por mim.

Leila Rodrigues 

29 comentários:

  1. É a primeira vez que acesso o seu blog, talvez porque hj que vi o endereço. Nossa, como vc escreve bem. Parabéns. Espero continuar lendo seus textos e me transportando para eles, este "sobre o domingo" identifiquei-me totalmente.

    ResponderExcluir
  2. Leila
    Que coisa boa essa de vc nos transportar lá pros domingos da nossa infância... Acho que era meu dia preferido mesmo, e da forma como vc aqui o desenhou: roupa nova, missa, cinema, sorvete... Em casa, família reunida,agregada e harmônica, cheirinho de frango assado... A gente era feliz e não sabia. Depois, qdo crescemos, a sensação do domingo depressivo vem com força total. Eu também tenho tentado, e muito, dar uma nova cor aos meus domingos, fazendo mais ou menos o que vc priorizou pra torná-lo mais agradável. Acho que vc nos segredou a melhor forma de tornarmos esse dia, o mais prazeroso possível. Parabéns pela redação. O texto ficou muito bom. Bjkas com hiper carinho!

    ResponderExcluir
  3. O domingo e'um dia diferente dos outros, tem lá seus encantos, seu charme, mas também tem seus momentos de tédio, acho até, por ser ele muito proximo da segunda feira...grande beijo de bom final de semana.

    ResponderExcluir
  4. Olá Leila!!

    Por hora não vou comentar seu post- vim por pura curiosidade... rs

    Brincadeira- é que estou no escritório e isso me deixa distraído, gosto de entender aquilo que leio enfim... você disse colecionar frases minhas,,, rs espero um dia saber quais são. Tipo um pintor vendo seus quadros somando a decoração de uma sala, rs obrigado pelo carinho e por declarar que gosta da minha escrita!

    Beijo na Alma- volto a noite!

    Vini

    ResponderExcluir
  5. Um texto muito bem escrito . Penso que este foi um Domingo tranquilo e muito bem passado !

    ResponderExcluir
  6. Oi minha menina fidalga!
    Sabia que vejo na hr que estás escrevendo...menina vc é tão fdalga que tem porte até prá sentar...diferente de mim...minha mesa é um verdaeiro lixeiro...pq tenho mania de escrever em qualquer papel...em qualquer lugar...sou do tipo que se abrir a bolsa e se de papel só tiver uma bula de remédio eu escrevo por cima...mas é pq minhas escritas surgem nas hrs erradas...chega em qualquer lugar,pareço uma doida pq escrevo sempre na hora errada...mas o importante é que as pessoas gostam das minhas escritas...e nem sabem que são tão sofridas para nascerem.
    Minha querida !sabia que os meus domingos não foram diferentes dos seus...penetrei tão profundamente no texto que quando terminei de ler continuei lendo o que nem estava escrito...diga ai essa fome que tenho de escrever e ler que significa?
    bjsssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  7. Leila..vi um comentário seu no blog da Mamy Severa. E pensei..quem é essa moça que se parece com a Mulher Maravilha?
    Ja te disseram isso?

    Mas comentando seu post.
    Eu morro de saudaes de antigamente. Quando nos reuniamos na casa da minha vó..macarronada, frango assado e muito a amor no cardapio..
    Ai meus av[os se foram.. e td isso se perdeu..saudades

    te sigo..

    Bj

    Ma

    ResponderExcluir
  8. Bom alvorecer!
    Reflexição para o dia de hj...
    Deus é Pai (Poema)
    Composição: Fábio de Melo

    Quando o sol ainda não havia cessado seu brilho,
    Quando a tarde engolia aos poucos
    As cores do dia e despejava sobre a terra
    Os primeiros retalhos de sombra
    Eu vi que Deus veio assentar-se
    Perto do fogão de lenha da minha casa
    Chegou sem alarde, retirou o chapéu da cabeça
    E buscou um copo de água no pote de barro
    Que ficava num lugar de sombra constante.
    Ele tinha feições de homem feliz, realizado
    Parecia imerso na alegria que é própria
    De quem cumpriu a sina do dia e que agora
    Recolhe a alegria cotidiana que lhe cabe.
    Eu o olhava e pensava:
    Como é bom ter Deus dentro de casa!
    Como é bom viver essa hora da vida
    Em que tenho direito de ter um Deus só pra mim.
    Cair nos seus braços, bagunçar-lhe os cabelos,
    Puxar a caneta do seu bolso
    E pedir que ele desenhasse um relógio
    Bem bonito no meu braço
    Mas aquele homem não era Deus,
    Aquele homem era meu pai
    E foi assim que eu descobri
    Que meu pai com o seu jeito finito de ser Deus
    Revela-me Deus com seu
    Jeito infinito de ser homem.
    Bjssssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  9. Essa é uma otima estrategia para começar a semana com disposição e alegria, gostei!!
    Adorei o poema e mais uma vez obrigado pelo carinho e amizade!

    ResponderExcluir
  10. Oi Leila! Obrigada por visitar meu espaço "blog"!! Passeei pelo seu e apreciei muito seus textos. Estarei sempre por aqui!! Fiquei feliz quando você resolveu dedicar um dia - o domingo - para você e seus encantos: físicos, espirituais e intelectuais! Reabastecer as energias para podermos amar e sermos amadas é inteligência emocional. Parabéns!
    Abraço da Célia.

    ResponderExcluir
  11. Um feliz dia dos pais a todos os papais ao seu redor minha querida amiga...beijos de bom domingo e ótima semana,,,obrigado sempre pelo carinho no Livro.

    ResponderExcluir
  12. Ando meio sumida dos comentários, pois tive uma semana bem "hard" de trabalho, mas passei aqui por alguns motivos:
    1-porque estava com muitas saudades!
    2-porque quero desejar um LINDO DOMINGO DE DIA DOS PAIS!
    3-para dizer que estou muito feliz em estar nos TOP 30 pela segunda semana seguida, no Prêmio TOP BLOG 2011!
    4-para pedir seu voto, caso você não esteja concorrendo e ache que eu mereço seu voto!
    bj Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

    ResponderExcluir
  13. E que vewnha a segunda feiraaaa!!! :D

    Amei seu blog, já estou te seguindo.

    Siga-me também!!

    BEIJOSSS

    PARABÉNS!!!

    ResponderExcluir
  14. Seu texto é excelente, texto não... isso é uma fotografia de minha infância!
    Parabéns p/esse seu precioso "cantinho" que tb é nosso...!
    Faça-me uma visita, ficarei feliz!
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Não é só aí.

    Aqui o Domingo também é um tédio...


    Saudações poéticas

    ResponderExcluir
  16. Nossa..adorei seu jeito de falar sobre o domingo.Na verdade acho que eles sao melhores antes de chegar e quando chegam ficam tediosmanete chatos....ah...mas para sempre vou espera´-los...rs....

    ResponderExcluir
  17. Que gostoso tirar o domingo para colocar as coisas em dia.
    Uma boa dica para quem sempre diz não ter tempo para nada.

    Beijos
    Gemária Sampaio

    ResponderExcluir
  18. Uma ótima segunda feira pra ti minha amiga e uma semana toda de luz poesia e paz...beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  19. Minha querida

    Um texto muito calmo...como deveriam ser sempre os nossos Domingos, mas normalmente são chatos.
    Adorei ler e deixo um beijinho com carinho.

    Sonhadora

    ResponderExcluir
  20. Simplesmente maravilhoso teu texto e nos faz pensar...Buscamos o que está ADIANTE e tantas vezes esquecemos de nós...Esse RESGATE foi lindo! beijos, adorei te conhecer, obrigado pela visita!chica

    ResponderExcluir
  21. Realmente os domingos de outrora eram saborosos, mas há que se saber viver com as atualidades.
    Que texto mais gostoso de se ler.
    Adorei! Abraços

    ResponderExcluir
  22. Bom dia,Leila!!

    Lindo texto!!O domingo é um dia diferente...mas quando criança não gostava muito dele não...
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  23. Perfeito Leila! Li e viajei nas suas palavras...

    Seus textos são muito gostosos de ler.

    Bjoss!

    ResponderExcluir
  24. Mas não tem coisa mais parecida comigo do que esta sua história contada com toda a verdade! Eu odiava os domingos; gostava da sexta e do sábado. Domingo era o dia do tédio, do não sei o que fazer. Quando consegui me convencer a não fazer nada, a deixar rolar, comecei a perceber que damos muita importância ao domingo. Hoje ele é um dia como qualquer outro. Não invento moda para torná-lo um dia criativo ou seja lá o que for. E gosto de ficar em casa aos domingos, colocando as coisas em ordem para a semana. Consegui fazer deste dia algo útil.

    Gostei muito de sua crônica. O que procuramos é a identificação, e você conseguiu!
    Grande beijo
    Tais luso

    ResponderExcluir
  25. Olá Leila,
    No domingo,geralmente, ficamos meio que perdidos. Durante a semana é um corre-corre e, quando se pára é dia do dito cujo, quando dormimos um pouco mais, almoçamos mais tarde, lemos ou vamos ao cinema, enfim, é o dia da folga. Adorei seu texto, amiga. Já a estou seguindo.
    Se quiser retribuir, conheça meu recanto e, se gostar, siga-me e deixe um comentário para mim. Ficarei muito feliz em vê-la por lá.
    Um beijo,
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  26. Um domingo, uma chuva, uma garrafa, um copo, um cigarro, um coração e várias lágrimas.

    Quero lhe convidar a participar do meu blog, todo dia 10 tem sorteio de 10 livros dos novos autores que recem apoio deste blog, e para participar, basta seguir, e deixar um comentário, dizendo - quero participar da promoção; assim o faço por aqui, e certamente, voltarei, um abraço.

    ResponderExcluir
  27. Olá!! Parabéns pelo blog é ótimo, é a primeira vez que o visito e ja me tornei seguidora!
    Esse texto "Domingo" me fez lembrar minha infância, exatamente igual, missa , frango e macarronada. Que saudades!
    Abraços, voltarei sempre.
    Leonice.

    ResponderExcluir

Obridada pela visita. É muito bom ter você por aqui!
Fique à vontade para deixar o seu recado.
Volte sempre que quizer.
Grande abraço